Bichos

Seu cãozinho pode ser adestrado por você mesmo, em sua casa e de graça; veja algumas dicas

Petiscos, amor e paciência podem ajudar tutor na tarefa de socializar

O adestrador Rubens Kierski, 33 anos, com seu cãozinho na piscina
O adestrador Rubens Kierski, 33 anos, com seu cãozinho na piscina - Divulgação

Leonardo Volpato
São Paulo

Muita gente não sabe, mas é possível adestrar seu cãozinho e torná-lo mais sociável sem sair de casa e sem gastar dinheiro. Quem afirma isso são profissionais da área, que dão dicas e conselhos para quem quer começar a domesticar o animal.

De acordo com Alexandre Rossi, zootecnista e especialista em comportamento animal, também conhecido da TV como Dr. Pet, o mais importante é entender que os cães possuem uma grande capacidade de aprendizado e, apenas por observar as pessoas e situações do dia a dia, percebem o que funciona ou não.

“Por exemplo, um cão que late demais quando quer comer e acaba ganhando a comida aprende que é latindo que consegue o seu objetivo. Portanto, a primeira medida para os tutores lidarem com esse comportamento é não oferecer o que ele deseja quando late, somente quando estiver tranquilo”, aconselha.

Uma dica semelhante vale para cães que pulam nas pessoas. “Se eles percebem que esse comportamento gera interações, possivelmente continuarão fazendo. Portanto, o indicado é somente interagir com o pet quando ele estiver com as quatro patas no chão”, diz o especialista.

É bastante possível tornar um cão mais sociável com pequenos ajustes (e paciência) no cotidiano. Especialistas afirmam que, com a técnica correta e força de vontade, qualquer cachorro, não importa a raça, tamanho ou temperamento, pode ser domesticado.

Segundo Cristiani Mendes, adestradora positiva e coproprietária da empresa Happy Doggo Adestramento, o que muda é o nível de energia de cada raça. É bom tentar fazer ações de acordo com o estilo de vida deles.

“Se o cão for idoso, é preciso respeitar seu ritmo, pois eles aprendem mais devagar, e truques fisicamente muito elaborados podem ser um grande desafio para os bichinhos. É preciso respeitar suas limitações físicas e mentais. Uma pessoa que quer começar a adestrar seu próprio cachorrinho deve socializá-lo assim que ele terminar o ciclo de vacinas”, aconselha.

Porém, ainda há muitos erros que são cometidos por adestradores do dia a dia. “O maior deles é se frustrar e punir, seja verbalmente com gritos ou mesmo batendo no cão, o colocando de castigo. Isso é muito nocivo e danifica muito a autoconfiança e segurança dele, que se torna arredio”, diz Cristiani.

Para a especialista Juliana Gumieri, veterinária da DrogaVET, um animal bem treinado costuma apresentar evoluções clínicas. “O adestramento ainda estimula o raciocínio do cão, é algo importante e fundamental. Sempre que tocar a campainha, por exemplo, faça-o sentar e aplique o reforço positivo, dando um petisco ou oferecendo um carinho. Durante o aprendizado nem sempre isso dará certo, portanto é necessário ter muita paciência e dedicação. E evite brigar com o cão. Isso pode colocar tudo a perder”, finaliza. 

AMOR AOS BICHOS

De tanto amor aos animais e das tentativas de adestrar algumas raças em casa, o paulistano Rubens Kierski, 33 anos, resolveu levar a paixão para a profissão. Ele, que trabalhava como corretor, virou adestrador de cães. “Sempre tive animais em casa, o amor pelos cães vem de família. Atualmente tenho um buldogue francês chamado Bart”, conta.

“O motivo principal para entrar nessa área foi um outro cachorro chamado Rex. Era um cachorro totalmente desequilibrado. Todos nós dentro de casa tomamos mordidas sérias dele, meu pai teve de passar por uma cirurgia na perna. Já a minha irmã quase teve que adiar o casamento dela porque o animal mordeu o pé dela”, lembra.

De lá para cá, Kierski se interessou pela área de adestramento e, com a ajuda de amigos, em 2016, entrou na área. “Ainda não me tornei uma referência, pois tenho muito a aprender e aperfeiçoar. Mas quero me especializar cada vez mais. Dá para fazer adestramento em casa. O meu conselho é: imponha regras, estipule horários para comer, passear e brincar. Qualquer um pode ensinar com dedicação e compromisso”, finaliza Kierski. 


TOP 10 DO ADESTRAMENTO

1) Utilize apenas incentivos positivos, como petiscos, elogios, carinho e brinquedos para ensinar os comportamentos certos

2) Cães são seres sociais, e mantê-los dentro de casa, sem contato com o mundo externo, principalmente nos primeiros meses de vida, causa muitos problemas

3) Dê brinquedos e petiscos firmes ao cão; a mastigação e o ato de roer são naturais e necessários para a as espécies

4) Jamais force o aprendizado quando o animal estiver visivelmente cansado ou incomodado

5) Haja sempre com amor, calma e paciência; o adestramento é constante

6) Socialize o cão com demais cachorros assim que ele terminar o ciclo de vacinas

7) Não humanize o cão, ele pode se tornar um animal mimado, estressado e até violento

8) Imponha regras, estipule horários para comer, passear e brincar

9) Em hipótese alguma puna o bicho com agressão, o mais indicado é ignorá-lo quando ele fizer algo de errado

10) Dedique-se, leia e tente descobrir quais os motivos que o fazem ter uma atitude indesejada e como você pode mudar isso

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem