Televisão

Em pedido de desculpas por personagem Africano, 'Pânico' diz que também satiriza 'mexicanos, chineses e árabes'

Por meio de nota enviada à imprensa nesta segunda-feira (10), o programa "Pânico" (Band) se desculpou com os telespectadores pelo personagem Africano, interpretado por Eduardo Sterblitch.

O pedido de desculpas, no entanto, foi controverso: o texto utiliza como justificativa outros tipos de racismo e xenofobia presentes no humorístico.

"Uma das principais marcas do programa 'Pânico' é a criação de personagens, sejam eles inspirados em personalidades, profissões ou em diferentes culturas. O Africano, interpretado pelo humorista Eduardo Sterblitch, é uma das caracterizações presentes no quadro 'Pânico's Chef', sátira do programa de culinária 'MasterChef'. Neste mesmo quadro há (...) mexicanos, chineses, árabes", diz a nota.

"O programa Pânico está no ar há 12 anos na televisão brasileira e jamais teve a intenção de ofender seus telespectadores com nenhuma de suas atrações, mas sim, levar entretenimento com seu humor característico. O programa Pânico pede desculpas ao público que se ofendeu com o personagem", completa a mensagem, sem deixar claro se o personagem continuará ou não no programa.

Edu Sterblitch encarna o personagem Africano
Edu Sterblitch encarna o personagem Africano - Crédito: Reprodução

AFRICANO

O problemático personagem Africano gerou revolta na internet no último domingo (9), quando ganhou destaque no programa além do quadro "Pânico's Chef".

Para interpretar o Africano, Eduardo Sterblitch, que é branco, usa uma "blackface"e uma roupa de malha preta cobrindo todo o corpo. O personagem não sabe falar, age como um bicho, fazendo caretas, gritos, se coçando, protagoniza "danças exóticas" e incorpora entidades.

Procurado pela reportagem, Sterblitch não se manifestou a respeito.


Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias