Você viu?

Fuga de leopardos causa pânico em parque na China

Instituição foi criticada por não emitir alarme sobre a fuga dos felinos

Fêmea de leopardo se esconde no mato em Botsuana - Eduardo Knapp -19.mar.2015/Folhapress
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Xangai
AFP

Os trabalhos de busca continuavam nesta segunda-feira (10), no leste da China, para encontrar um dos três leopardos que fugiram de um parque de animais selvagens. A instituição foi criticada por não emitir um alarme sobre a fuga dos felinos.

Moradores de Hangzhou, uma grande cidade a cerca de 160 quilômetros a sudoeste de Xangai, viram um felino solto na quinta-feira (6). Alguns pensaram que o animal poderia ter escapado de um zoológico próximo.

Em um primeiro momento, o Hangzhou Animal Park, que abriga animais da savana, negou qualquer responsabilidade até que, no sábado (8), anunciou um fechamento temporário do estabelecimento por "razões de segurança".

A notícia rapidamente viralizou nas redes sociais. O zoológico acabou admitindo que um de seus animais havia fugido e se desculpou por não ter acionado o alerta antes para não "espalhar pânico".

Nesta segunda (10), as autoridades locais anunciaram a prisão de cinco pessoas, incluindo o diretor do zoológico. Foi aberta uma investigação sobre o caso.

De acordo com a imprensa chinesa, três jovens leopardos fugiram do zoológico. Dois deles foram capturados no fim de semana, mas o terceiro ainda estava sendo procurado nesta segunda-feira com a mobilização de diferentes recursos, inclusive aéreos.

Os vídeos da captura de um dos felinos, que parece quase adulto, em que uma matilha de pelo menos cinco cães é vista abusando do animal, deflagraram uma onda de críticas.

Outro vídeo da televisão estatal chinesa divulgado no fim de semana parece mostrar um dos leopardos capturados sem uma perna. O ferimento parecia recente e não estava enfaixado.

Os parques de animais da China são alvo de críticas recorrentes pelas condições de vida dos animais, assim como por incidentes fatais, devido a questões de segurança.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem