Você viu?

Vassouras sobre monociclos viram 'alternativa' para driblar trânsito em São Paulo

Invenção chega a 60 quilômetros por hora e é útil no cotidiano urbano

Alessandro Russo sobre sua vassoura na Avenida Paulista
Alessandro Russo sobre sua vassoura na Avenida Paulista - Amanda Perobelli/Reuters
Leonardo Benassatto
São Paulo

Dois moradores de São Paulo inventaram uma nova maneira de driblar o trânsito congestionado da capital paulista, e estão chamando muita atenção. Em um sábado recente, Vinícius Sanctus, de 39 anos, e Alessandro Russo, de 28, foram vistos atravessando as principais vias da megalópole sobre vassouras montadas sobre monociclos.

Em movimento, a engenhoca tem uma semelhança bizarra com as vassouras usadas por bruxas e magos do universo Harry Potter, criado pela escritora inglesa J.K. Rowling e mais tarde transformado em uma franquia de filmes.

Para conduzi-la, a dupla simplesmente se inclina na direção na qual quer seguir. Embora exija alguma prática, a invenção chega a 60 quilômetros por hora e é útil no cotidiano urbano, disseram.

“Na verdade, digo aos meus amigos que agora só vou na padaria usando minha vassoura. Mas não é piada. Eu faço isso mesmo”, disse Russo. “Uso minha vassoura como meio de transporte hoje em dia. E é muito divertido”.

Por enquanto, as vassouras estão essencialmente limitadas ao uso pessoal, mas Russo e Sanctus têm planos de divulgar e vender sua criação, que custa cerca de 4 mil reais. Eles torcem para que as pessoas consigam disputar um jogo com as vassouras que lembra muito o Quadribol, o esporte predominante no mundo mágico de Potter.

“Nosso objetivo final é vender as vassouras para o mundo e talvez criar uma nova variação do Quadribol”, disse Russo. “E parecerá muito com aquela usada nos filmes de Harry Potter”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem