Você viu?

Rei da Tailândia se isola com dezenas de mulheres em hotel de luxo nos alpes alemães

Monarca libertou a ex-amante para se juntar ao grupo, segundo mídia alemã

Rei Maha Vajiralongkorn ao lado da consorte real Sineenat Bilaskalayani, também conhecida como Sineenat Wongvajirapakdi
Rei Maha Vajiralongkorn ao lado da consorte real Sineenat Bilaskalayani, também conhecida como Sineenat Wongvajirapakdi - Handout-26.ago.2019 / THAILAND'S ROYAL OFFICE / AFP
São Paulo

O rei da Tailândia Maha Vajiralongkorn, 68, também conhecido como Rama 10º, está isolado em um resort de luxo na Alemanha em meio a pandemia do novo coronavírus, com mais de 20 mulheres. O Grand Hotel Sonnenbichl, localizado nos alpes de Garmisch-Partenkirchen, foi o destino escolhido pelo rei.

A informação foi dada pelo jornal alemão Bild, que afirmou a libertação da ex-amante e consorte real (cônjuge do monarca) Sineenat Bilaskalayani, 35, presa no ano passado sem motivos aparentes –após se envolver publicamente com o monarca, casado com ex-comissária de bordo Suthida Tidjai– para se juntar ao grupo de mulheres.

Ainda segundo a mídia alemã, a ex-amante de Rama 10º desembarcou em Munique, na Alemanha, no último sábado (29) e foi levada para os aposentos da realeza, que reservou um andar inteiro no hotel e armou um forte esquema de segurança. Há relatos que a administração do local construiu uma "sala de prazer" para o monarca.

Sineenat treinou como piloto na Tailândia e no exterior, serviu na unidade real de guarda-costas do rei e, em 2019, foi premiada com o posto de major-general. No entanto, a ex-amante do morcana deixou o posto após três meses da nomeação. Ela foi acusada por deslealdade e ambição de tomar a posição da rainha, Suthida Tidja.

Maha Vajiralongkorn foi nomeado príncipe herdeiro em 1972 e ascendeu como rei da Tailândia em 2016, após a morte do pai. Entretanto, Rama 10º vive na Alemanha desde 2007. Ele também é pai de sete filhos e atualmente está no seu 4º casamento.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem