Você viu?

'Uma Linda Mulher' - 25 anos; confira 5 curiosidades, do carro ao pôster (passando por Stallone)

"Uma Linda Mulher" comemora em março 25 anos de seu lançamento, em 1990. E ainda hoje, o filme é uma das comédias românticas mais bem sucedidas de Hollywood.

Com custo de US$ 14 milhões (um orçamento razoável na época), o longa coletou US$ 178,4 milhões só nas bilheterias norte-americanas (em valores corrigidos, a quantia sobe para US$ 350 milhões).

Em 1990, o filme da Disney, dirigido por Garry Marshall, ficou em quarto lugar nas bilheterias e arrecadou mais que filmes de ação, como "O Vingador do Futuro" (US$ 119,3 mi) e "Duro de Matar 2" (US$ 117,5 mi) —o campeão daquele ano foi outra surpresa, "Esqueceram de Mim", com respeitáveis US$ 285,7 milhões.

Um dos segredos do sucesso de "Uma Linda Mulher" foi a química entre o par central, Julia Roberts e Richard Gere. Mas quase que deu tudo errado. O estúdio nem pensava em Julia Roberts e tinha uma lista com dezenas de atrizes na frente de Julia, que foi indicada ao Oscar pelo papel da prostituta Vivian.

Richard Gere também não foi o primeiro nome pensado para o milionário Edwards, papel que por pouco não caiu nas mãos de Al Pacino. E do mesmo jeito que não dá para pensar em Gere como protagonista de "O Poderoso Chefão", "Scarface" ou "Perfume de Mulher", também é preciso admitir que o galã grisalho tem mais carisma para comédias românticas.

Confira abaixo cinco curiosidades sobre "Uma Linda Mulher".


1 - O SEGREDO DO PÔSTER

O cabelo de Richard Gere é preto só no pôster (ohhhh). Ok, essa todo mundo sabe. Mas você sabia que o corpo de Julia não é de Julia? (ohhhh) As belas curvas pertencem a dublê de corpo Shelley Michelle (que também aparece como Vivian nas cenas de amor).

Crédito: Divulgação


2 - JULIA QUEM?

Julia Roberts estava a milhas de distância da preferência da Disney. O estúdio trabalhava com uma lista com vários nomes cotados para viver a protagonista. Molly Ringwald (musa dos anos 80) era a preferida, mas ela declinou do convite (e se arrependeu). Confira alguns nomes que foram sugeridos para o papel e que fim elas levaram.



3 - NO PÓDIO

Lembra do carrão que Edward dirige (mal) no começo do filme? O modelo, uma Lotus Esprit, foi usado depois que Ferrari e Porsche não quiseram aparecer na produção. Sorte da Lotus: o Esprit teve sua venda triplicada em 1990 e 1991, graças à sua "participação especial".

Crédito: Reprodução


4 - BOBEOU, DANÇOU

Depois do policial atormentado em "Vítimas de uma Paixão", Al Pacino esteve com a faca e o queijo na mão para ficar com o papel de Edward e chegou até a fazer um teste com Julia Roberts, mas desistiu do papel —em 1990, ele fez "Dick Tracy" e "O Poderoso Chefão 3". Antes de Richard Gere, outros nomes também foram cogitados, como Daniel Day-Lewis, Christopher Lambert, Denzel Washington, Dennis Quaid e... Sylvester Stallone (já imaginou Sly gritando "Viviannnn" no fim do filme? Melhor não).

Crédito: Divulgação

5 - TRAMA PESADA

A primeira versão do roteiro era bem menos romântica do que a que foi levada às telas. O filme se chamaria $ 3.000 (referente aos US$ 3.000 que Vivian cobra para passar a semana com Edward). Além disso, a moça seria viciada em cocaína e parte do acordo previa que ela ficaria "limpa". No final, ela ainda encontraria a amiga Kat morta após uma overdose. Reza a lenda que só depois que a produção resolveu usar a música "Oh, Pretty Woman" (de 1964), de Roy Orbinson, é que o título foi alterado.

Crédito: Divulgação

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias