Viva Bem

Contar histórias para a criança estimula o hábito da leitura e a criatividade

Prática também estreita os laços de afeto entre pais e filhos

Letícia, dois anos, segura livro de história infantil
Letícia, dois anos, adora histórias de princesas - Ronny Santos/Folhapress

Descrição de chapéu Agora
Karina Matias
São Paulo

Há cerca de seis meses, Letícia Lucena Monaco, dois anos, ganhou prateleiras cheias de livros. Desde então, uma de suas brincadeiras preferidas é escolher um deles e pedir para que os pais leiam para ela.

"Como instalamos as prateleiras na parte de baixo da parede, ao alcance dela, ela começou a se interessar. Agora, sempre fala: ‘Mamãe, senta aqui, conta essa história’”, diz a nutricionista Camila Lucena, 37, mãe de Letícia. O preferido até agora é "Cinderela". "Ela presta atenção, conta a história para as bonecas e interage. Ela fala: ‘Oi, Cinderela, não chora’. É muito bonitinho de ver", comenta a mãe.

Para educadores, além de ser um momento prazeroso, o hábito de ler para a criança promove uma série de benefícios, como o desenvolvimento da criatividade, a imaginação e a ampliação de seu vocabulário.

Segundo Elaine Cristina Gomes, professora do curso de contador de histórias do Senac, os pais podem começar a prática ainda na gestação. "É uma forma de ambos estarem presentes. E o feto já vai reconhecendo as vozes deles, sentindo a reação da mãe à história."

Para os bebês, os pais podem usar recursos visuais, a fim de entretê-los, enquanto narram a história. Depois dos dois anos, a criança já consegue entender os enredos. "A contação de histórias é uma prática milenar, que foi se perdendo, mas que vem sendo retomada agora. Há muitos pais e mães no curso que eu dou. É uma forma de se aproximar dos filhos, de olhar nos olhos deles, de observar as suas reações, de ver, por exemplo, o personagem que os emociona naquela trama", revela Elaine .

Camila lê para a filha, Letícia, de dois anos
A nutricionista Camila Lucena lê para a filha, Letícia, dois anos - Ronny Santos/Folhapress

Outra dica da professora é, durante a leitura, provocar a imaginação da criança. "Não entregue nada pronto. Valorize o que ela pode criar, o que pode entender da história", orienta.

O projeto Lê no Ninho, da Secretaria Estadual de Cultura, propõe incentivar os pais ou responsáveis para que cultivem o hábito da leitura com as crianças. “O objetivo principal é inserir o gosto da leitura na vida dos pequenos, porque os livros ampliam o entendimento e a interpretação que eles têm do mundo, apresentam novos assuntos e conhecimento, como um animal ou uma planta que eles não conheceriam se não fosse dessa forma”, afirma Letícia Fagiani, gerente de acervo das bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, onde acontece o projeto.

Para levar esse conhecimento dos livros a crianças de Guarulhos (Grande SP), os educadores Thayame Porto e Bruno Terra criaram, em 2009, o projeto “Passarinho Contou”. Com uma Kombi cheia de obras infantojuvenis, eles formam rodas de contação de histórias em bairros periféricos da cidade.

"No começo, muitas crianças demonstram resistência, não querem saber de livro. Mas nós vamos despertando esse interesse por meio de brincadeiras e, no final, elas ficam superinteressandas”, afirma Thayame. Hoje, o projeto também está presente em outras cidades.


Benefícios à criança

-  Estimula o hábito da leitura
-  Desenvolve a criatividade e a imaginação
-  Amplia o repertório visual e o vocabulário
-  Proporciona conhecimento
-  Auxilia no desenvolvimento cognitivo e emocional 
-  Facilita a comunicação
-  Fortalece o vínculo afetivo entre pais e filhos
-  Proporciona momentos de lazer e diversão 
-  Produz memória afetiva

Dicas para os pais

-  Deixe a vergonha de lado
-  Brinque com a voz, fazendo uma entonação diferente para cada personagem 
-  Torne o momento de contar uma história inesquecível para você e para o seu filho

Programe-se

- Projeto Lê no Ninho
Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos
Na Biblioteca de São Paulo, no Parque da Juventude (av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana, tel. (11) 2089-0800)
Aos sábados, às 11h
Aos domingos, às 11h30
Vagas preenchidas por ordem de chegada

Na Biblioteca Parque Villa-Lobos, no Parque Villa-Lobos (av. Professor Fonseca Rodrigues, 2.001, Alto de Pinheiros, tel. (11) 3024-2500)
Aos sábados e domingos, às 10h30
Vagas preenchidas por ordem de chegada

- Projeto Hora do Conto
Contação de histórias da literatura infantojuvenil
Na Biblioteca de São Paulo e na Biblioteca Parque Villa-Lobos
Sexta, às 15h

- Contação do livro “O Paraíso São os Outros”, do escritor Valter Hugo Mãe
Dia 17, às 11h, na Biblioteca Paulo Duarte (r. Arsênio Tavollieri, 45, Jabaquara, tel. (11) 5011-8819)
Dia 21, às 14h, na Biblioteca Pedro Nava (r. Helena do Sacramento, 1.000, Mandaqui, tel. (11) 2973-7293)

- Histórias que Dão uma Música
Dia 13, às 14h, na Biblioteca Adelpha Figueiredo (pça. Ilo Ottani, 146, Pari, tel. (11) 2292-3439)
Dia 14, às  14h, na Biblioteca Ricardo Ramos (pça do Centenário de Vila Prudente, 25, Vila Prudente, tel. (11) 2273-4860)

- Histórias para Crianças Corajosas
Dia 16, às 14h, na Biblioteca Raimundo de Menezes (av. Nordestina, 780, São Miguel Paulista, tel. (11) 2297-4053)
Dia 21, às 14h, na Biblioteca Álvares de Azevedo (pça. Joaquim José da Nova, s/nº, Vila Maria, tel. (11) 2954-2813)
Dia 26, às 14h, na Biblioteca Malba Tahan (r. Brás Pires Meira, 100, Interlagos, tel. (11) 5523-4556)

- Projeto Passarinho Contou
Dia 16, às 14h, na Praça dos Pimentas (av.  Juscelino Kubitschek de Oliveira,  altura do 2.000, Guarulhos, tel. (11) 94871-1363)
Em julho, todos os sábados, às 14h, no Sesc Ipiranga (r. Bom Pastor, 822, Ipiranga, tel. (11) 3340-2000)

Veja mais sobre a programação das bibliotecas no site: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bibliotecas/noticias/?p=23338

Veja mais sobre o projeto Passarinho Contou no Facebook: https://www.facebook.com/thayame.passarinhocontou/

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem