Viva Bem

Hipnose acessa mente humana e oferece cura para muitas doenças e fobias

A terapia foi mostrada na novela das nove 'O Outro Lado do Paraíso', da Globo

A parapsicóloga Adriana Borges, 44, com Rogério Castilho, que é o seu hipnoterapeuta
A parapsicóloga Adriana Borges, 44, com Rogério Castilho, que é o seu hipnoterapeuta - Rubens Cavallari/Folhapress

Descrição de chapéu Agora
Lara Pires
São Paulo

A hipnose pode passar a ideia de uma experiência mística ou transcendental. Mas, segundo quem aplica a técnica, a hipnose nada mais é do que uma maneira terapêutica de acessar a mente humana para ressignificar pensamentos, emoções e lembranças.

Recentemente, a técnica foi incluída entre os novos tratamentos terapêuticos oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), como uma das alternativas para doenças como a depressão. A hipnose foi mostrada, também, na novela das nove "O Outro Lado do Paraíso" (Globo), nas cenas em que a personagem Laura (Bella Piero) fez sessões com o auxílio de Adriana (Julia Dalavia).

A moça passou por uma regressão e se lembrou de um trauma do passado: havia sido abusada sexualmente pelo padrasto, Vinícius (Flávio Tolezani).

"Já atendi casos como os da novela. Muitas mulheres chegam até a clínica para investigar a falta de interesse sexual e não se lembram de que existiu um abuso na infância que está por trás disso", afirma o psicólogo e hipnoterapeuta Rogério Castilho. "É preciso ter conhecimento, técnica e muito cuidado ao lidar com casos como estes."

 

A hipnose, segundo o especialista, é mais simples que parece. Ela é um processo natural da mente humana, que a tira do seu estado de consciência, alterando o seu padrão. "Nossa mente entra em modo de espera, em 'stand-by', como se fosse um transe em que o inconsciente da pessoa fica acessível e aceita sugestões", diz Castilho.

O hipnoterapeuta Leandro Motta explica que as pessoas entram naturalmente em transe várias vezes ao dia, sem sequer notar. "Muitas vezes, estamos no banho e pensamos que passaram cinco minutos, quando na verdade foram 20", exemplifica. "Isso acontece porque estávamos pensativos, com a cabeça em outro lugar."

O objetivo da hipnose, segundo os especialistas, é trabalhar para fortalecer estados emocionais positivos e minimizar ou neutralizar os estados emocionais negativos que podem estar prejudicando a vida da pessoa de alguma maneira.

"Por exemplo: lidamos com muitas pessoas que vêm até nós para curar fobias", afirma Castilho. "Uma fobia é um estado extremamente negativo, então, colocamos a pessoa em hipnose e trabalhamos com ela, para neutralizar aquilo de que ela tem medo." Segundo Castilho, cerca de 98% das pessoas podem fazer terapia com hipnose. A exceção se dá àquelas que têm alguma doença que as impeça de entender o que o terapeuta pede. 

A  parapsicóloga Adriana Borges, 44, procurou o tratamento com hipnose para alterar comportamentos e sentimentos que ela não achava ser capaz de mudar sozinha. Uma das coisas que ela trabalhou foi a compulsão alimentar: "A hipnose agiu nessa minha vontade de comer a toda hora. Além disso, melhorou muito a minha autoestima." 

Ela diz que também queria conseguir frequentar a academia com regularidade. "Sempre começava e parava, não conseguia manter a frequência", conta Adriana. "Fiz uma reprogramação mental durante a hipnose e agora sou assídua, não falto mais."

São muitas as razões pelas quais a procura pela hipnose acontece. "Os cinco maiores motivos são: emagrecimento, ansiedade, depressão, fobias e tabagismo", diz Castilho. Antes de começar a terapia com hipnose, no entanto, é preciso pesquisar bem o local em que o tratamento será realizado.

"Qualquer um pode fazer um curso de especialização e começar a aplicar a hipnose nos pacientes, mesmo sem ter outros conhecimentos", revela Castilho. "Por isso, eu aconselho que as pessoas pesquisem bastante a respeito do local em que vão buscar tratamento e sobre quem será o profissional que vai aplicá-lo. É bom ter referências dele."


O que pode ser tratado com hipnoterapia

Compulsão alimentar O tratamento pode ajudar a trabalhar os motivos –conscientes ou não– que levam a pessoa a comer descontroladamente

Ansiedade O descontrole emocional pode ser neutralizado por meio do transe que a pessoa alcança e pode tranquilizá-la

Tabagismo O vício no fumo pode ser tratado com hipnose 

Fobia Em uma ou duas sessões, é possível ressignificar a fobia e neutralizar aquilo que, até então, causava pânico

Depressão São necessárias algumas sessões, mas o intuito é trabalhar para fortalecer estados emocionais ou minimizar sensações negativas

Disfunções sexuais No caso de haver falta de libido ou dores no ato sexual que já tenham sido investigadas sem sucesso pelos médicos, é possível tentar pela hipnose descobrir se os problemas têm alguma relação com abusos ou traumas do passado

Fonte: Rogério Castilho, do Instituto Rogério Castilho de Hipnose & PNL; Leandro Motta, hipnoterapeuta
 

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem