Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Televisão

Gêmeos de 'Quanto Mais Vida, Melhor!' dividem gosto pela dança com personagens

André e Carlos Silberg vão aparecer em mais cenas desse tipo na novela

Carlos e André Silberg em 'Quanto Mais Vida, Melhor!'
Carlos e André Silberg em 'Quanto Mais Vida, Melhor!' - Fábio Rocha/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Os gêmeos André e Carlos Silberg, 22, vão aproveitar os dotes que exibiam na internet em "Quanto Mais Vida, Melhor!" (Globo). Conhecidos por dancinhas que faziam em redes sociais, eles vão aparecer em mais cenas desse tipo na trama.

Nesta segunda-feira (13), os dois apareceram pela primeira vez em uma sequência em que faziam uma coreografia em um motel. Na trama, eles fizeram Flávia (Valentina Herszage) seduzir Conrado (Alex Nader) para roubá-lo. Enquanto isso, eles se divertiam no quarto ao lado, fazendo uma performance que envolveu até a banheira e o pole dance do local.

A Globo já confirma que em breve novas cenas de dança com a dupla irão ao ar. "As cenas de dancinha começaram a partir dessa do motel", explicou André. "Eles viram que a gente mandava bem e começaram a colocar em várias cenas. E a gente ganhou espaço criativo também pois éramos nós quem criávamos as coreografias. Eles confiaram e deu certo!"

"Essa dancinha do motel foi a primeira que a gente gravou, com certeza, foi a cena que a gente estava mais à vontade, por estar nessa zona de conforto e nos divertindo muito!", contou Carlos. "A gente mesmo que coreografou os passos."

André conta como os dois foram parar na novela. "Eles estavam procurando gêmeos univitelinos da nossa idade, atores. Aí, surgiu o teste em janeiro de 2020. Passamos de primeira", revela. "Já sabiam que seria a gente."

Eles começaram a dançar juntos aos 9 anos de idade e dizem se inspirar dançarinos gêmeos franceses Les Twins. "Nunca mais conseguimos parar!", conta André. "Achamos que seria só um hobby e pra diversão, mas felizmente acabou virando trabalho. Muito doido ver que encontramos uma paixão em comum além da dança, a atuação agora!"

Apesar de já terem alguma fama antes, agora eles dizem serem mais reconhecidos. "Éramos conhecidos por dancinhas e dublagens. Mas desde a estreia, sempre que postamos um vídeo lá somos reconhecidos pelos gêmeos da novela", diz Carlos. "A repercussão tem acontecido aos poucos, principalmente, quando estamos juntos. O tom loiro do cabelo também chama um pouco a atenção. Mas já reconhecem a gente em ruas, restaurantes, bares."

Já nas gravações, os dois contaram que chegaram a ser confundidos um com o outro. "Acontecia bastante", entrega André. "Mais pela equipe do que pela direção. Mas foi facilitando durante as gravações, os atores amigos já sabiam quem era quem facilmente. Na verdade, era mais fácil saber quem era Carlos e Andre, do que Neco e Leco."

A experiência da novela tem sido encarada por eles como uma grande "Foi a experiência de maior aprendizado da nossa vida com certeza, tanto no profissional quanto no pessoal, de crescimento absurdo", afirma André. "A troca com os atores experientes e disponíveis ajudou muito!"

Os gêmeos também contam o que têm em comum com os personagens. "Acredito que o que eu tenho em comum com o Neco é a persistência em algumas situações, mas a dança com certeza é o que mais aproxima a gente", avalia Carlos. "Interpretar os gêmeos Neco e Leco foi desafiador e divertido! Fizemos cenas que jamais imaginaríamos, de ação principalmente. E ainda tivemos o prazer de dar vida a personagens totalmente fora da nossa realidade de vida."

"Leco e Neco são personagens bem fora da nossa realidade, então, começamos no primeiro trabalho com um processo desafiador", diz André. "Acho que a única coisa que temos em comum é o fato de serem gêmeos e dançarem. De resto não tem nada a ver com Carlos e André. Sobre o sotaque, que foi base pra construção deles, fizemos fonoaudióloga, prosódia, porque os personagens são cariocas."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem