Televisão

Carlinhos Brown diz que crianças do novo Voice Kids estão mais preparadas

Sob comando de Márcio Garcia, 6ª temporada estreia neste domingo

Márcio Garcia, Carlinhos Brown, Gaby Amarantos e Michel Teló e Thalita Rebouças Globo

São Paulo

Único técnico a estar desde o início do programa The Voice Kids, Carlinhos Brown, 58, afirma que as crianças estão chegando à competição cada vez mais seguras e confiantes. Segundo o músico, isso é resultado de uma melhor preparação antes mesmo do ingresso no reality, já que muitas delas fazem aulas de canto e sessões de fonoaudiologia.

"As crianças estão bem melhores preparadas para respirar, para cantar. Estão mais soltas. Estão entendendo que é uma competição, mas que tudo ali é uma validação de um brincar. Os professores têm feito a diferença mesmo", diz ele em conversa com jornalistas, de forma virtual, sobre a estreia da sexta temporada neste domingo (6).

Brown observar também que, a cada dia, os pequenos participantes se interessam mais pelo repertório da música brasileira e estão mais alinhados com as suas origens e raízes. De acordo com o cantor, uma das funções dos técnicos é justamente auxiliar nessas indicações.

"Tem algo que não é diferente [das primeiras edições do reality] é a emoção que nos surpreende", afirma. Ele conta que logo que começou a participar da atração, lá em 2016, tinha vergonha de chorar. Agora, aproveita sua posição de veterano para observar como os colegas se comportam ao ingressar no programa.

Brown relata que flagrou Márcio Garcia, que assumiu a apresentação do Voice Kids nesta temporada, com os olhos cheios de lágrimas. O novo comandante do reality já tinha afirmado que teve de se segurar para não chorar durante as gravações das Audições às Cegas, primeira etapa da disputa, já toda filmada.

“Cheguei a lacrimejar, mas me segurei para não chorar muito. A emoção vem, sim. Não tem como, é muito emocionante", diz Garcia, que volta a trabalhar com crianças depois de Gente Inocente, programa infantil apresentado por ele e exibido nas tardes de domingo da Globo entre 2000 e 2002.

Já Thalita Rebouças, que acompanha as famílias dos candidatos durante as apresentações, diz não ter vergonha das lágrimas. "O que eu aprendo com o programa? A chorar, né, gente. Eu só choro com The Voice Kids", diz ela, em tom de brincadeira.

Atual vencedor da disputa com o participante Kauê Penna, Brown diz, em tom bem-humorado, que os novos técnicos Gaby Amarantos e Michel Teló entraram no reality para ameaçá-lo. "Mas o time Brown não vai ficar atrás."

O sertanejo chega ao programa com a experiência de cinco vitórias como técnico na versão adulta da atração, The Voice Brasil. Teló afirma se reconhecer nas crianças que sonham em cantar. "Eu sempre tive essa vontade de estar no palco, emocionando as pessoas e levando a alegria da nossa arte. Você sente, quando é pequeno, e percebe que tem uma facilidade para cantar. Você descobre que tem um dom, um talento para cantar no tom, no ritmo. É bonito ver isso nos candidatos do programa."

Gaby Amarantos destaca que o papel dela é conduzir os candidatos durante a disputa e que fará de tudo "para honrar essa função". A cantora acrescenta ser uma mulher de muita fé e que um dia antes de ser chamada para ingressar no reality, ela pediu a Deus que "alguma coisa especial acontecesse em sua carreira".

Amarantos afirma que o trabalho dos músicos tem sido muito prejudicado na pandemia, já que shows presenciais não podem ser realizados. "Não quero parecer aqui Poliana, mas sabe essa parada do poder da atração, de realmente você desejar tanto uma coisa, e essa coisa acontecer. Foi o milagre mais poderoso e rápido que aconteceu na minha vida."

Diretor artístico do Voice Kids, Creso Eduardo Macedo acrescenta que o reality reforça seu foco de ser um programa para toda a família. "E esperamos tocar o público com a esperança latente das novas gerações", salienta.

O vencedor da competição ganha prêmio de R$ 250 mil, gerenciamento da carreira e um contrato com a gravadora Universal Music. Nesta edição, o programa musical também será exibido no canal infantil Gloob, sempre às sextas, posteriormente a exibição da atração na Globo.

Além disso, Ana Clara vai comandar uma atração no Globoplay sobre The Voice Kids, em que vai receber convidados, participantes e técnicos para comentar o programa.

Veja como será a disputa

  • Audições às Cegas

    Na primeira fase, os técnicos, de costas para o palco, escolhem os candidatos somente pela voz. Eles viram suas cadeiras e montam seus times. Se mais de um técnico virar, o participante é quem escolhe com quem quer trabalhar. No total, serão 72 vozes aprovadas, 24 em cada time.

  • Batalhas

    Os técnicos dividem seus times em trios. Na apresentação musical é escolhida apenas uma voz para continuar no programa. Os outros dois participantes são eliminados. Restam oito vozes em cada equipe ao final da fase.

  • Tira-Teima

    Em dois programas ao vivo, os técnicos vão dividir as oito vozes que passaram das Batalhas em dois grupos de quatro. Um grupo canta no Tira-Teima 1, e o outro no Tira-Teima 2. O técnico salva duas vozes em cada programa.

  • Ao Vivo 1 (Quartas de final)

    o final de cada show, parte dos candidatos segue no programa. O público e os técnicos participam desta decisão, que deixará três vozes em cada time.

  • Ao Vivo 2 (Semifinal)

    Cantam três vozes por time e as duas melhores são selecionadas -público salva uma, e o técnico, a outra.

  • Final

    Duas vozes por técnico chegam ao último programa, e os finalistas se apresentam em um grande show, que inclui a apresentação dos técnicos. A voz campeã do Voice Kids 2021 será escolhida pelo público.

The Voice Kids - 6ª Temporada

  • Quando Estreia 6/6
  • Onde Na Globo, com reprise no Gloob às sextas
  • Classificação Livre
  • Apresentação Márcio Garcia e Thalita Rebouças
  • Jurados Carlinhos Brown, Gaby Amarantos e Michel Teló
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem