Televisão

The Voice Kids: Candidatos falam da surpresa e alegria de estar na final: 'É só batalhar'

Final do programa acontece neste domingo com show dos técnicos

Kauê Penna, Maria Eduarda Ribeiro e Paulo Gomiz - Instagram
São Paulo

A quinta temporada do The Voice Kids (Globo) chega ao fim neste domingo (11), véspera do Dia da Criança, após uma edição atípica devido à pandemia do coronavírus. Para os finalistas, no entanto, percalços como a suspensão do programa e as apresentações remotas, não mudam a emoção da final.

“A sensação é de euforia, de alegria, todos os sentimentos misturados. Eu não imaginava chegar tão longe, está sendo a realização de um sonho para mim”, afirma a catarinense Maria Eduarda Ribeiro, 14, que vai disputar a preferência do público com Kauê Penna e Paulo Gomiz, ambos também de 14 anos.

E dessa vez, a votação será exclusivamente do público, pelo site do Gshow. Os técnicos Carlinhos Brown, Simaria e Mumuzinho acompanharão as apresentações e ainda deverão fazer uma apresentação especial. Simone, que está grávida, continuará participando do programa remotamente, assim como os finalistas.

Ainda sem saber quem é o grande o campeão, os três afirmam que já realizaram um sonho ao chegar na final e enumeram aprendizados que tiveram até agora: “Aprendi muita coisa. Novas técnicas, coisas que não só o Carlinhos Brown me falou, mas todos os técnicos nos falaram”, afirma Kauê Penna, que é de São João do Meriti (RJ).

“Fiquei mais consistente em relação à música”, avalia o paulista Paulo Gomiz. “Eu só cantava em musicais. E cantar músicas de outros artistas, na televisão, foi uma experiência nova. Aprendi e foquei em cada música. Esse profissionalismo que o The Voice Kids trouxe para mim eu vou levar para o resto da vida.”

EXPERIÊNCIA

Apesar da pouca idade, os finalistas não chegaram ao The Voice Kids sem experiência na música. Cantando desde os quatro ou desde os nove anos, eles destacam a jornada que tiveram até essa final, destacando que “todos somos merecedores desse prêmio, até porque todo mundo tem o seu talento, nós temos a nossa caminhada”, diz Kauê.

“Eu batalho para conseguir as minhas coisas, eu passei por muitas coisas para chegar até aqui. E eu estou aqui para mostrar que, independente da sua história, de onde você mora, da sua situação física ou financeira, você pode e é só você batalhar que você consegue”, completa ele.

Maria Eduarda e Paulo destacam não apenas os esforços que tiveram para chegar até a grande final, mas também os de seus pais: “Corri atrás dos meus sonhos, não desisti, minha mãe largou tudo para realizar este sonho comigo. Por isso eu acho que mereço ser a vencedora”, afirma Maria Eduarda.

Já Paulo, espera que seus esforços o ajudem a realizar o sonho de sua mãe. “Quero ajudar minha mãe, com o meu sonho, a realizar o sonho dela, que é o de ter uma casa própria. Com isso, a gente vai investir o dinheiro do aluguel na minha carreira. Estou no The Voice por mim e por ela também. Quero muito retribuir tudo.”

POLÊMICA

A quinta temporada do The Voice Kids chega ao fim na mesma semana em que uma ex-participante causou polêmica ao desabafar sobre sua participação no programa, na edição de 2019. A adolescente de 15 anos afirmou que acha “imoral” colocar crianças para competirem entre si e que ficou traumatizada com a experiência.

“Na minha opinião The Voice Kids deveria ser proibido”, afirmou ela. “Ninguém abusou de mim ou coisa do tipo, me trataram muito bem em vários aspectos, o que eu estou falando é sobre a mecânica do programa”, continuou ela antes de fechar sua conta no Twitter diante da grande quantidade de compartilhamentos e comentários.

“A experiência em si foi boa considerando as amizades que eu fiz durante o processo. Mas eu não tinha preparo psicológico e muito menos emocional para enfrentar um baque daqueles”, afirmou. “Podem dizer que eu só ‘não sei perder’ porque foi isso que eu achei por muito tempo.”

A Globo foi procurada, mas não quis comentar o desabafo da adolescente.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem