Televisão

Marido de Hebe em série, Marco Ricca recorda ter desprezado Paulo Maluf no programa dela

'Uma indelicadeza terrível', diz ator, que está na série 'Hebe', que estreia na Globo

Marco Ricca faz Lélio Ravagnani, marido de Hebe em série e filme sobre a trajetória da artista - Fabio Rocha/Globo
São Paulo

O ator Marco Ricca, 57, conta que é de uma geração que julgou, sim, a apresentadora Hebe Camargo (1929-2012) por seu apoio político ao malufismo. "Eu era um militante político, e estava do outro lado dela. Assim como hoje, é difícil a gente não julgar algumas pessoas que tomam determinado partido em um momento tão crítico e doloroso."

Na série "Hebe", que conta a trajetória da apresentadora e será exibida a partir de quinta (30), na Globo, o ator dá vida a Lélio Ravagnani, com quem ela foi casada por quase 30 anos. Em entrevista com jornalistas para divulgar a produção, Ricca lembrou de um episódio em que foi grosso com Paulo Maluf, justamente em um programa da Hebe, no SBT.

Na ocasião, ele fazia uma novela na emissora e todo o elenco tinha sido chamado para participar da atração. O político, que era amigo pessoal da apresentadora, estava na plateia e foi cumprimentar os artistas. O ator, porém, se recusou a dar a mão para ele.

"Foi uma indelicadeza terrível...A Hebe fazia você passar por essas coisas e, ao mesmo tempo, depois ela foi lá e se desculpou quando descobriu que aquele homem [o Maluf] não era exatamente aquilo, que ele não correspondia à expectativa dela", afirma Ricca.

Para o ator, é "muito bom" que a série sobre a vida da apresentadora seja transmitida na TV aberta para mostrar que tudo bem errar, mas que é importante também reconhecer os erros. "Para que a gente consiga ver essa personagem tão complexa e tão contraditória como a Hebe, que sabe se desculpar e se virar para o lado correto da história [...] Essas contradições desses personagens é o que fazem que sejam grandiosos", diz.

Para a roteirista Carolina Kotscho, idealizadora do filme e da série sobre a artista, a intensidade da humanidade na Hebe é uma de suas principais características. "De se jogar nesse abismo sem rede de proteção, e de fazer a pergunta que quer fazer, de dar a mão para Maluf, mas chorar entrevistando a Dilma [Rousseff], e tão inteira em cada um desses momentos", destaca.

Para interpretar Lélio, Ricca conta que fez muito da construção do personagem pelo roteiro, mas também conversando com pessoas que conheceram e foram amigas do empresário, que morreu em 2000, como o seu amigo e ator, Luis Gustavo.

"Ele [Lélio] era esse playboy paulistano. Hoje, ele seria esse cara que estaria na Paulista, vestindo verde e amarelo, na frente do prédio da Fiesp. Ele tinha esse reacionarismo, que eu acho muito característico dessa burguesia paulista", diz o ator. Na série, Lélio é apresentado como um homem machista, muito ciumento e que chega a ser agressivo e desrespeitoso com a apresentadora.

'Hebe'

  • Quando Às quintas, por volta das 22h40 (após 'Fina Estampa')
  • Onde Globo (já disponível na Globoplay)
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem