Televisão

Fátima Bernardes terá lives e clima leve no Encontro: 'Hora de conversar sobre a vida'

Apresentadora terá companhia de Ana Maria Braga

Fátima Bernardes - João Miguel Júnior/Globo
São Paulo

O Encontro retorna a partir desta segunda-feira (20), às 10h45, na Globo, com a proposta de ser um respiro nas manhãs da emissora, que no último mês dedicou o espaço para o jornalismo na cobertura do novo coronavírus. Sob comando de Fátima Bernardes, sozinha do estúdio, a atração terá participações especiais de Ana Maria Braga, que continua em casa.

A apresentadora diz que foi importante ceder o espaço para o Combate ao Coronavírus, comandado por Márcio Gomes. Para Bernardes, era fundamental dar uma pausa em meados de março e, agora, diz ela, o cenário mudou. "Chegou a hora de a gente conversar sobre como a nossa vida está sendo transformada por causa dessa pandemia. A ideia é abordar aspectos diferentes desses das dúvidas do dia a dia."

"O principal destaque do programa é ter a Ana conversando sobre esse período e relembrando algumas receitas que o público sente muita falta. Isso vai levar a um sentimento de carinho, afago, de aconchego nas pessoas. Ana Maria é uma figura que o público está acostumado a ver e certamente vai ficar feliz em reencontrar", diz Bernardes.

De casa, Ana Maria fará entradas diárias pelo telão do programa para relembrar receitas práticas do Mais Você, que segue fora ar. Ana Maria Braga também continua com seu tratamento do câncer. Pouco antes de entrar de férias, no final de janeiro, Ana Maria revelou ter recebido diagnóstico de câncer de pulmão.

Embora seja apenas em participações especiais, Ana Maria Braga afirma que retornar neste momento fez até o seu coração bater mais forte. "Tenho uma grande satisfação e privilégio de ter um espaço onde eu posso dividir ideias e assuntos com outras milhões de pessoas. Estava me fazendo falta essa troca. Também estou morrendo de saudade do meu Louro José."

Ana Maria conta que as receitas escolhidas vão facilitar o cotidiano das pessoas que estão dentro de casa no isolamento. "São pratos rápidos, simples e saborosos. Todas com ingredientes baratos e que se encontram com facilidade em qualquer parte do país."

Nesta nova etapa, Encontro com Fátima Bernardes também vai repercutir e exibir as lives musicais de artistas nas redes sociais. "Estamos aproveitando tudo o que a gente está vivendo para pensar como podemos levar isso para o palco. Na operação do programa em si, nos Estúdios Globo, teremos equipe reduzida e todos seguindo as orientações de segurança recomendadas pelos órgãos de saúde."

Fátima Bernardes conta que ficou bem quietinha durante a quarentena e nem saiu de casa. Ela revela o que fez durante o isolamento social e nos mais de 30 dias que ficou fora do ar. "Fiquei direto em casa, não sai nem para dar uma volta de carro. Esse período de quarentena fez com que a gente pensasse no que realmente acha importante, o que vale a pena manter, às vezes sobre alguma coisa que é possível mudar."

A quarentena também a ajudou a tirar algumas reflexões sobre o período em que vivemos. "A gente passa a valorizar mais os momentos juntos. Como faz falta o abraço, o beijo, estar do lado de quem você ama", afirma Bernardes.

De acordo com a Globo, os cuidados para o retorno do Encontro foram redobrados, a equipe está reduzida e não haverá plateia nem convidados. O único presente no estúdio com a Fátima Bernardes, pelo menos na primeira semana, será o psiquiatra Jairo Bouer. Sucesso de crítica e audiência, o Combate ao Coronavírus continua nas manhãs, porém, com horário reduzido e mais cedo, às 9h50.

A média de audiência do Encontro com Fátima Bernardes antes de deixar a grade, segundo o colunista do UOL, Ricardo Feltrin, ficava entre seis e sete pontos na Grande SP. O Combate ao Coronavírus elevou o desempenho e, em março, dava mais de 12 pontos. Já em abril, a média da atração desacelerou e voltou ao patamar de 8 pontos. Cada ponto do Kantar Ibope equivale a cerca de 73 mil domicílios na Grande SP).

A queda dos dados de audiência pode ser explicada, em parte, pelo desinteresse das pessoas em ler e ouvir notícias sobre a Covid-19. Essa percepção foi captada em pesquisas e análises realizadas em outros países, que também estão em quarentena há um pouco mais tempo que Brasil. Por aqui, a desaceleração da audiência do programa de Márcio Gomes é indicativo desse sentimento.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem