Televisão

Carolina Dieckmann diz que em 'Fina Estampa' fez sua única piriguete e se apaixonou por muay thay

Para viver Teodora, atriz malhou pesado para ficar musculosa

Teodora (Carolina Dieckmann)

Teodora (Carolina Dieckmann) João Cotta/Globo

São Paulo

Com mais de 15 novelas em seu currículo, a atriz Carolina Dieckmann, 41, coleciona personagens dos tipos mais variados. Mas "piriguete" foi apenas uma em toda a sua carreira, a Teodora, que chega na próxima segunda-feira (6) a "Fina Estampa", reprisada na faixa das 21h da Globo.

"Apesar de fazer coisas bem feias, ela não era uma vilã. A personagem teve uma curva muito interessante, porque ela começa desprovida de caráter e se modifica com o reencontro desse amor. É muito interessante quando a gente tem um personagem que tem uma curva dramática e não é linear”, avalia a atriz.

Teodora já apareceu na trama, seja por fotos ou em conversas, mas agora ela retornará de verdade às vidas de Quinzé (Malvino Salvador) e Quinzinho (Gabriel Pelícia), respectivamente o marido e o filho que ela abandonou há anos para fugir com o lutador profissional Wallace Mu (Dudu Azevedo).

E a primeira semana não será nada tranquila para a personagem, que se envolverá em discussões com o ex, será recriminada por ter abandonado a família e descobrirá que o atual namorado não está muito bem de saúde, o que colocará em risco a vida financeira do casal e o luxo que Teodora tanto aprecia.

Ao recordar as gravações, após quase dez anos, Carolina Dieckmann afirma que conheceu Malvino Salvador apenas quando foram fazer a primeira cena juntos e foi justamente um beijo, que seria lembrado durante toda a novela. "Tinha que ser com paixão, muita emoção e a gente nem se conhecia. Foi um susto (risos)", conta ela.

Mas o principal presente de Teodora à atriz foi o muay thay. O esporte praticado pela personagem é até hoje o que Dieckmann mais gosta de praticar. A artista, que já chegou a raspar a cabeça por causa de um personagem, em "Laços de Família" (2000-2001), diz ser importante quando um papel muda sua rotina e seu corpo, e Teodora a deixou em sua versão mais musculosa.

Rever esse trabalho agora é motivo de felicidade, afirma atriz, mas uma felicidade relativa diante da situação atual de quarentena do novo coronavírus. "Mas é uma boa notícia diante do que pode ser feito. Resguardar e proteger os atores das outras novelas e, ao mesmo tempo, ter uma trama de qualidade, leve, sendo exibida", afirma ela.

"Agora é importante termos momentos de leveza, de alguma alegria e divertimento. Que bom que a gente tem conteúdo já gravado para poder deixar disponível para as pessoas que podem ficar em casa. De repente as que trabalham também têm tempo de chegar e assistir às novelas. Eu estou feliz pela volta da novela, mas é uma felicidade diferente. Não é só para se comemorar."

PRODUÇÕES SUSPENSAS

"Fina Estampa", que foi ao ar entre os anos de 2011 e 2012, voltou à Globo no último dia 23, no lugar de “Amor de Mãe”, após a suspensão das gravações de novelas devido à pandemia do novo coronavírus. Novo Mundo” (2017) e “Totalmente Demais” (2015-2016) também foram escolhidas para reprisarem.

A única novela que a Globo manteve em sua grade com episódios inéditos foi "Malhação - Todas as Formas de Amar", que terminou nesta sexta (3). A partir da próxima segunda-feira (6), a Globo vai exibir no mesmo horário a vencedora do Emmy "Malhação - Viva a Diferença" (2017-2018).

Na primeira vez em que foi transmitida, "Fina Estampa" alcançou média de 39,1 pontos na Grande SP (cada ponto do Ibope representava na época 67 mil lares), . Em sua primeira semana de reexibição, ela alcançou 34 pontos de média, igualando índice de “Amor de Mãe”, em sua última semana (cada ponto do Kantar Ibope equivale a 74,9 mil lares).

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem