Televisão

Gabriella Mustafá diz que ter síndrome do pânico não é vergonha: 'Somos cobrados o tempo todo'

Atriz interpreta a estudante Nanda em 'Malhação - Toda Forma de Amar'

A atriz Gabriella Mustafá

A atriz Gabriella Mustafá Vinícius Mochizuki/Divulgação

Rio de Janeiro

​A patricinha Nanda, de "Malhação - Toda Forma de Amar", foi do céu ao inferno. Depois de finalmente conseguir alcançar o sucesso artístico, sendo inclusive reconhecida pela cantora Anitta, a estudante enfrentou crises de pânico e resolveu se afastar da carreira para cuidar da saúde mental.

"As crises aconteceram por uma sequência de coisas. A pressão da mãe com relação à profissão, e ela querer ser cantora. Tudo isso, com certeza, pesa, porque é um momento em que a gente precisa de acolhimento, mas também ela quer provar para ela mesma o tempo todo como é boa”, afirma Gabriella Mustafá, 22, intérprete de Nanda.

A atriz ressalta que a doença de sua personagem é muito comum e diz estar realizada por tratar de um tema atual e tão importante na novela teen da Globo. Ela diz que recebe mensagens de adolescentes que passam pelo mesmo desafio que Nanda e os orienta a procurar ajuda médica.

"Esses padrões de vida que a gente vê nas redes sociais e são impostos na sociedade e, isso tudo, tem um peso, uma cobrança. Recebi mensagens de adolescentes relatando que não sabiam que tinham síndrome do pânico ou que tinham vergonha de contar para os pais”, diz.

Mustafá afirma que ela mesma já se sentiu insatisfeita e pressionada ao se deparar com padrões de vida mostrados no Instagram. "Acho que involuntariamente já tive vontade de ter o que alguém tem, viver o que alguém está vivendo. Acho que é estrutural o que a gente está vivendo."

A mudança de rumo da personagem foi uma surpresa para a atriz, que garante ter gostado de dar vida a uma nova Nanda. "Para mim, como atriz, está sendo muito especial mostrar um outro lado artístico, testar outras coisas, ter outras experiências diferentes do que eu estava fazendo."

"Para a trama, também trouxe uma riqueza tratar desse assunto. As pessoas se sentiram representadas e acho que levar informação e criar identificação com as pessoas é o nosso trabalho", completa. 

Mustafá diz que ficou muito mexida com as recentes cenas de Nanda. "Eu sempre vou muito no meu limite nessas cenas de emoção e saio muito emocionada e ainda presente. Preciso me controlar, mas estou me conhecendo como atriz e artista."

Ao contrário da maioria dos jovens talentos da Globo, "Malhação" não é o primeiro trabalho de Mustafá na emissora. Ela estreou em 2017, na primeira fase da minissérie "Dois Irmãos" como Zana, posteriormente interpretada por Juliana Paes e Eliane Giardini, na segunda e terceira fases respectivamente.

Depois, a atriz foi direto para o horário nobre, no papel de Melissa, a "esposa intocável" de Diego (Arthur Aguiar) em "O Outro Lado do Paraíso" (Globo), em 2018. "Estou onde deveria estar. Estou um pouco mais madura, mas aprendendo muita coisa. Então, acho que consigo criar mais."

"'Malhação' tem isso. Nós, atores novos, temos mais rotina, quantidade de texto para decorar. Se você às vezes não faz uma protagonista ou antagonista, você não tem tanta possibilidade de estar em movimento. Estou vivendo um momento especial. Tenho certeza de que em outras novelas estarei mais madura e confiante para viver outras coisas e falar sobre outros assuntos", conclui. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem