Televisão

'Amor Sem Igual' estreia na Record com tema polêmico e ambição de manter sucesso de 'Topíssima'

Trama de Cristianne Fridman vai abordar prostituição e histórias de amor

Day Mesquita interpreta Angélica, a Poderosa, em 'Amor Sem Igual'

Day Mesquita interpreta Angélica, a Poderosa, em 'Amor Sem Igual' RecordTV

Rio de Janeiro

Na esteira do sucesso de "Topíssima", a Record estreia nesta terça-feira (10) a próxima trama "Amor Sem Igual". Para manter a boa audiência, a emissora mantém a mesma autora da novela anterior, Cristianne Fridman, e dá continuidade a temas contemporâneos em suas tramas. Dessa vez, o universo abordado será o da prostituição e histórias carregadas de amor.

Com o enredo principal ambientado em São Paulo, Angélica Silva, a Poderosa, interpretada por Day Mesquita, é uma garota de programa que se envolve com Miguel (Rafael Sardão), um rapaz interiorano que trabalha no Mercado Municipal e leva um estilo de vida simples e tranquilo.

Apesar do tom enfático de Poderosa, Day Mesquita afirma que o universo da prostituição não será o foco principal. "O foco é essa mulher batalhadora, forte, que passou por muitas coisas na vida e na infância, mas que, acima de tudo, leva a vida com muita leveza, que corre atrás do seu ganha-pão", diz a atriz durante lançamento do folhetim na última quinta (5), no Rio de Janeiro.

Em novo horário, às 20h30, "Amor Sem Igual" quer seguir o sucesso de audiência de "Topíssima", mesmo tendo confronto direto com Jornal Nacional (Globo) desde o início da trama. A Record aposta suas cartas no novo folhetim, que segundo a autora, é uma atitude ousada por parte da emissora, que propôs o enredo polêmico.

"A Record está sendo muito ousada em trazer uma garota de programa como protagonista da novela. Mas é bom alertar que a história da novela é romântica. Não é um mergulho no mundo da prostituição, então a família brasileira pode assistir, tá bom?", afirma Fridman, que diz ter se surpreendido com o pedido da emissora.

Rafael Sardão diz acreditar que a mudança na grade da emissora também vai contribuir para que "Amor Sem Igual" faça muito sucesso, além de a narrativa ser diferente. "A gente já fez troca de horário e a mudança foi acertada. Tem público para todos. O trabalho que a gente faz é tão minucioso, em todos os detalhes, todos os departamentos da emissora estão se empenhando tanto. Tenho certeza de que a gente vai ter o público conosco e até ganhar com o decorrer da novela."

Quanto ao peso de protagonizar a novela em horário nobre, tanto Day Mesquita como Rafael Sardão afirmam não sentir medo da responsabilidade. "Estou acostumado em estar nos grandes produtos da casa. Dá mais uma felicidade e ansiedade de ver isso acontecendo do que medo da responsabilidade. Hoje estou ciente de que posso estar bem nesse lugar" diz o ator, que não nega o ''friozinho na barriga'' com a oportunidade.

Além do enredo romântico, "Amor Sem Igual" vai abordar temas de grande relevância contemporânea, como a ganância em família, desigualdade social, relacionamento abusivo, preconceitos e saúde mental. Maria Antônia, personagem da atriz Michelle Batista, será rejeitada pelo amado (Miguel) e descobrirá sua bipolaridade e depressão. "Vamos dar visibilidade a essas doenças que antigamente não tinham reconhecimento."

Maria Antônia terá contato com o público de uma forma nunca antes feita pela Record, que agora vai apostar na interatividade com o telespectador através das redes sociais. Ela terá um perfil no Instagram, na mesma linha da personagem Vivi Guedes (Paolla Oliveira), em "A Dona do Pedaço" (Globo). Além da rede social, Maria Antônia vai pedir conselhos amorosos no "Fórum dos Apaixonados", no qual o público vai poder ajudar a personagem.

"É a primeira vez que eu tenho uma personagem assim e estou bem animada", diz Batista. "O da Vivi Guedes era uma coisa mais de blogueira e influenciadora digital. A Maria Antônia não tem essa pegada, ela usa mais a internet para desabafar e pedir conselhos, já que ela não tem amigas".

A atriz afirma que o público vai ver os dois lados da moeda: vida real versus mídias sociais. "No Instagram você posta uma foto linda e maravilhosa. Você vai ligar a novela e vai ver que ela passou o dia chorando. Isso é a vida real, a gente sabe que isso acontece."

Em busca de quebrar preconceitos e paradigmas, "Amor Sem Igual" será recheada de histórias atuais com diálogos menos didáticos e mais práticos, como destaca Fridman. Para os protagonistas, a expectativa é que a novela consiga de fato mudar certos pensamentos. "Espero que a gente consiga quebrar preconceitos não só com garotas de programa, mas com qualquer outra profissão", afirma Day.

Já Sardão diz acreditar que Miguel será um exemplo para muitos brasileiros. "Ele é um cara super do bem, honesto e trabalhador. A gente fala de preconceito e de empatia, e ele é um exemplo de alguém que tem um olhar diferenciado sobre o outro. É uma mudança de paradigma. Aprendo muito."

A jornalista viajou a convite da Record. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem