Televisão

Como em 'Amor de Mãe', Érika Januza diz que já teve que optar entre o amor e seguir um sonho

Atriz viverá tenista dedicada na próxima novela das 21h

Marina (Érika Januza)
Marina (Érika Januza) - João Cotta/Globo
São Paulo

Marina é uma jovem determinada. Divide seu tempo entre o trabalho de garçonete e os treinos de tênis, carreira que sonha seguir. Encontra apoio no namorado, que a incentiva, até a oportunidade realmente chegar. Uma proposta vai estremecer essa parceria e colocá-la diante de uma difícil decisão: o amor ou o sonho? 

Essa é a história da personagem vivida por Érika Januza, 34, na próxima novela das 21h da Globo, “Amor de Mãe”, que vai substituir “A Dona do Pedaço” a partir do próximo dia 25. “Não sei o que Marina vai resolver não, mas quem nunca passou por uma dilema entre o amor e um sonho? Eu já passei”, afirma a atriz em meio a risos. 

“Eu gostava de dançar e surgiu uma oportunidade de me apresentar... Ele falou a dança ou eu. Amor, então beijo pra você, estou indo. Também já passei por situações em que não fui e me arrependo. Mas nada acontece por acaso. Acho que não era pra eu ir, mas, com a cabeça que eu tenho hoje, eu iria. Tudo é o momento.” 

Na trama, ela terá de um lado Ryan, vivido por Thiago Martins, e por isso será uma espécie de “agregada” na família da sogra, Lurdes, interpretada por Regina Casé. Do outro lado, terá o tênis, sempre incentivada por seu treinador, Samuel (Gustavo Novaes), que prometeu à mãe de Marina torná-la uma campeã. 

“Não é fácil pra uma pessoa que não tem condições financeiras favoráveis se dedicar totalmente ao esporte então ela trabalha como garçonete e todo seu tempo livre fora do trabalho é de dedicação ao esporte, que é o grande sonho da vida dela. Acho que isso vem das pessoas que querem ser atletas, jogador de futebol ou outro esporte.”

Para fazer a personagem, Januza começou a treinar há cerca de um ano. Sua única familiaridade com o esporte até então estava na admiração que tinha pelas irmãs campeãs Vênus e Serena Williams. “É um esporte que exige muito de condicionamento. No começo eu disse ‘Meu Deus, não vou dar conta’, mas agora está fluindo”, afirma. 

Passado um ano desde o início dos treinos, a atriz afirma que já está bem familiarizada com o esporte e tenta treinar todos os dias. Quando alguma viagem longa muda seu cronograma, ela se apressa pra procurar uma academia local pra treinar. Mesmo quando a novela acabar, ela pretende continuar praticando. 

A preparação para interpretar Marina não ficou restrita aos treinos de tênis. Após interpretar a juíza Raquel, em “O Outro Lado do Paraíso” (2017) e participar da última temporada de “Dança dos Famosos”, Januza afirma que queria também mudar o visual. Assim acabou trocando os cabelos longos e volumosos pelo famoso “joãozinho”

“Eu comecei a namorar umas imagens de americanas com cabelo cortadinho, aqui [no Brasil] realmente não tem muitos visuais assim. Aí levei pro [José Luiz] Villamarim [diretor da trama]. ‘Pensa bem, ela é uma mulher que não vai ter tempo, ela sonha com o esporte, é uma mulher prática, é muito calor pra ficar prendendo’, falei pra ele.” 

Fios mais curtinhos, no entanto, não diminuíram a dedicação da atriz às madeixas. Ela conta que continua a rotina de hidratação que tinha antes. A grande mudança ficou mesmo pra periodicidade dos cortes, agora feitos de dez em dez dias. “Está crescendo como nunca. Agora é como se eu tivesse um barbeiro”, brinca ela. 

MATERNIDADE

“Amor de Mãe” destaca o relacionamento materno, geralmente protetor e abnegado. Para Érika Januza, as cenas que mais remeteram à sua família até agora foram as feitas na casa de Lurdes (Regina Casé), com mesa cheia. Sua sogra na trama será mãe de quatro filhos e buscará um vendido pelo pai ainda no início da trama. 

Além de Regina Casé, a trama tem mais duas protagonistas de roubar a cena: Adriana Esteves, que vive Thelma, uma mãe superprotetora que descobre sofrer de um aneurisma cerebral; e Taís Araujo, que dará vida a Vitória, uma mulher que se dedicou a vida toda à carreira profissional e, aos 42 anos, se torna obcecada em virar mãe. 

Para Érika Januza, a maternidade também é um sonho, e brinca: “Acho que tenho que pensar logo nisso, já estou com 34”. “Eu queria casar e tudo mais, mas mesmo se não rolar eu quero sim ter um filho, acho que filho é uma continuação da gente no mundo”, afirma ela. “Mas acho que primeiro vou arrumar um noivo”, conclui rindo.  

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem