Televisão

Malvino Salvador torce para Leandro ser o grande amor de Agno em 'A Dona do Pedaço'

'É a oportunidade que ele tem de sentir amor, coisa que nunca teve', diz ator

Leandro (Guilherme Leicam) e Agno (Malvino Salvador) em "A Dona do Pedaço"
Leandro (Guilherme Leicam) e Agno (Malvino Salvador) em "A Dona do Pedaço" - Divulgação
Beatriz Vilanova
São Paulo

Malvino Salvador, 43, está torcendo pela vida amorosa de seu personagem Agno, da novela "A Dona do Pedaço" (Globo). O ator diz que apoia o relacionamento dele com Leandro, vivido por Guilherme Leicam, 29, e que esta pode ser a chance dele viver um amor que nunca teve.

"É a oportunidade que ele tem de sentir amor, que não seja o pela filha. Ele nunca teve isso. Já sentiu paixão, mas amor não", disse o ator durante a ação Ganhou, Causou promovida pela Nestlé nesta sexta-feira (4). "Isso [o relacionamento] está transformando o Agno em uma pessoa melhor."

Segundo o ator, seu personagem estará traçando nos próximos episódios um caminho de reaproximação de sua ex-mulher, Lyris (Deborah Evelyn), justamente por conta do novo relacionamento. Para ele, o papel de Evelyn representa o público conservador, principalmente o de classe média. "É legal mostrar que [o que ela tem] é uma curiosidade positiva [sobre o relacionamento deles]. Ela quer saber com interesse", diz Malvino.

Personagens como os deles podem, inclusive, mudar a percepção do público sobre os homossexuais, diz o ator. "A dramaturgia tem esse potencial de transformar pessoas [...] Se a trama é bem produzida, eu acredito que tenha o potencial de mudar a cabeça de pessoas que não aceitam, de no mínimo fazer com que elas entendam mais, ou diminuam o preconceito", diz. Ele ainda afirma que sua própria filha Sofia, 10, assiste à novela e compreende alguns desses assuntos. 

Questionado sobre se estaria pronto para fazer a cena do beijo gay, Malvino respondeu que "sim", e acrescentou que isso deve ser algo naturalizado pelo personagem. "Não dá para querer chocar e afrontar as pessoas, se não o objetivo não seria alcançado", afirma. Para ele, a melhor maneira de fazer o público aceitar um beijo assim é criando empatia do público com o personagem, como o ator acredita que tem sido feito na novela.

A quase um mês do final da novela, o ator diz que levará de seu personagem o ensinamento de que "não vale a pena viver uma mentira". E, claro, os novos olhares nas ruas: "Percebo que algumas pessoas me olham diferente [...] A gente fica em evidência, é normal, e o personagem tem esse tempero; provoca uma curiosidade. Fui ao Rock in Rio e vinham crianças, homens, gays, mulheres, senhorinhas… [O personagem] está atingindo todo o público."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem