Televisão

Malvino Salvador diz que fazer novela é uma arte de sair de enrascadas

Ator interpreta o empresário Agno em "A Dona do Pedaço"

Agno, interpretado por Malvino Salvador, ensina boxe a Rock (Caio Castro), por quem desenvolve interesse romântico João Miguel Júnior/Globo

Cris Veronez
Rio de Janeiro

Quinze anos após estrear como coprotagonista na novela “Cabocla” (Globo, 2004), Malvino Salvador, 43, diz que não é mais aquele ator que sofria intensamente por seus erros. Mais seguro na profissão, ele afirma que, ainda crítico com seu trabalho, vê nas eventuais falhas oportunidades para melhorar.

“Fazer novela é a arte de sair de enrascadas. Você está fazendo o seu melhor take, dá um problema na luz e você tem que fazer tudo de novo. Acho que não devo me culpar e nem me incomodar com isso. É respirar e buscar fazer melhor ainda. Quero crescimento, mas entendo as minhas limitações e busco melhorar”, disse ao F5.

O ator está no ar atualmente em “A Dona do Pedaço”, a novela das 21h da Globo, como Agno, um empresário bem-sucedido na carreira e extremamente infeliz no casamento com Lyris (Deborah Evelyn).

Nos próximos capítulos da trama, ficará evidente que o empresário tem interesse sexual em homens. Ele, inclusive, tentará uma aproximação com o lutador de boxe Rock (Caio Castro), que a princípio rejeita ter algo com Agno.

“O que entendo é que o Agno foi um cara que com certeza sofria com o preconceito na juventude e não queria se mostrar. Tinha receio, medo, e aquilo de certa forma fez com que ele ficasse travado. Não sei se ele teve algum dia algum tipo de interesse pela própria mulher”, analisa o ator.

Malvino explica que buscou não se apegar a muletas, tais como caracterização pesada ou um gestual mais carregado, para compor o personagem. 

“Eu quis tirar tudo isso. O principal desse personagem são as motivações dele. (...) Eu me deixei muito livre para ficar atento ao que a cena está pedindo, e não criar um jeito que seja preponderante em todas as cenas. Essa foi a minha busca.”

Sobre um possível beijo gay entre Agno e Rock, Malvino diz que espera as mais variadas reações do público: desde surpresa e felicidade até o incômodo e a desaprovação.

Ele, no entanto, está aberto a tudo. “Se tiver um beijo, não tem problema nenhum, mas acho que isso é o que menos importa. O que mais importa na verdade é o que esse personagem pode levar de questionamento para as pessoas."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias