Televisão

Leo Bianchi é demitido da Globo e agora quer investir em cobertura de games

Jornalista conta que só voltaria à TV se fosse uma proposta irrecusável

O repórter Leo Bianchi durante cobertura de um treino de futebol - Instagram/leo.bianchi
Leonardo Volpato
São Paulo

O repórter de esportes da Globo Leo Bianchi é mais um a ser desligado do quadro de funcionários da emissora. O profissional atuou pela última vez nesta terça-feira (1º). A Globo confirma a informação.

De acordo com Bianchi, a emissora disse que o “custo-benefício não estava mais valendo a pena”. O repórter fazia reportagens sobre futebol e sobre o universo dos games. Ele também passou cinco anos revezando na apresentação do Globo Esporte, mas isso não mais acontecia.

“Apesar de ainda estar no quadro de funcionários, acho que acabei me afastando muito, desgastou um pouco. Eu estava tentando implantar outras coisas do meio digital na atração [Globo Esporte], mas não andou. A empresa não quis investir muito em esportes online”, explica o jornalista.

O repórter tinha acabado de voltar de férias e não estava planejando sair agora. Porém, ele revela não sentir nenhuma mágoa. “Foi o local onde aprendi tudo. Se sou um profissional melhor, reconhecido, se tive oportunidades de apresentar programas, cobrir competições importantes e conhecer mais gente no universo dos games, devo tudo à Globo”, opina. Bianchi estava na emissora havia quase dez anos.

“Entendo que a TV passa por um momento de reforma, de modificação. Estão trocando muita gente. Da minha época só restou o Felipe Diniz e o Renato Peters”, completa o repórter ao citar dois colegas remanescentes.

Por mais que ainda seja muito recente, já que a demissão aconteceu nesta terça (1º), Bianchi já sabe que não deseja voltar tão cedo à TV. Acompanhar a rotina dos clubes em centros de treinamento, não ter finais de semana nem poder celebrar datas comemorativas são fatores que, segundo ele, pesam na hora de escolher. “Para voltar a trabalhar com esporte teria que ser uma proposta muito agradável, legal. Estou aberto, mas não é algo que estou indo atrás.”

A partir de agora, Leo Bianchi quer investir nos games e se aliar a produtoras que transmitem e fazem cobertura sobre esses campeonatos de jogos online, os chamados e-sports. “Já estou investindo bastante nesse lado de esportes eletrônicos, pois é um espaço que cresce muito. Embora estivesse no futebol, já via que isso era uma grande vitrine. Tenho projetos que vou tocar imediatamente. Estou em conversas já com produtoras para eu trabalhar com transmissão e produção de conteúdo”, afirma.

A saída de Leo Bianchi é mais uma dentre as várias que já ocorreram na Globo. Para citar apenas as saídas no setor de esportes, foram desligados nomes como Mauro Naves, que estava lá há 31 anos e que teria se envolvido no caso Neymar. Também saíram, pelo menos por enquanto, Marcos Uchôa e Tino Marcos, que pediram licença dos cargos e só voltam em 2020. 

Ivan Moré também acertou sua saída da Globo. Até agora, porém, ele ainda não acertou com nenhuma outra empresa. A expectativa maior era a de que ele fosse para a Record e, depois, rumores apontaram que ele iria para a CNN Brasil. Mas nada ainda foi confirmado.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem