Televisão

Jornalista que pediu demissão ao vivo no Globo Esporte volta a trabalhar na TV aberta

Kaio Cézar vai atuar na TV Metrópole, do Ceará, a partir do dia 25

Kaio Cézar, jornalista da TV Verdes Mares, afiliada da Globo no Ceará
Kaio Cézar, jornalista da TV Verdes Mares, afiliada da Globo no Ceará - Reprodução/Instagram/kaiocezar_ce
São Paulo

Seis meses após ficar conhecido por pedir demissão ao vivo no Globo Esporte local, da TV Verdes Mares (afiliada da Globo no Ceará), o jornalista Kaio Cézar anunciou que vai voltar à TV aberta. Na terça-feira (13), ele revelou em suas redes sociais que vai trabalhar na TV Metrópole, emissora do estado cearense.

Kaio César atuará como narrador em transmissões de jogos de futebol, trabalho que ele já vinha desempenhando na internet e em rádios. "A partir do dia 25 deste mês, para além das diversas plataformas digitais e do rádio tradicional, estaremos com nossa 'live' também na TV Metrópole levando, sem falsa modéstia, o melhor da transmissão esportiva cearense para grande parte do estado", escreveu. 

Em fevereiro deste ano, Kaio César causou repercussão ao se demitir ao vivo no encerramento do Globo Esporte. “Bom pessoal, o Globo Esporte ficando por aqui e eu também fico. Neste momento, estou pedindo demissão do sistema Verdes Mares. Não abro mão do respeito nem da dignidade para estar em lugar nenhum”, disse o apresentador durante os créditos finais do programa e antes de sair do estúdio.

Filho do radialista Luis Bilal, o locutor esportivo estava no Sistema Verdes Mares de Comunicação há pouco mais de dez anos e participou de coberturas como as das Copas da África do Sul (2010), do Brasil (2014) e da Rússia (2018).

Na ocasião, a TV Verdes Mares emitiu uma nota dizendo que foi surpreendida com a atitude do jornalista. "Diante da repercussão do fato, o Sistema Verdes Mares esclarece que desconhece os motivos da decisão do apresentador e que vai tratar o assunto internamente, pelos canais adequados, como é prática na empresa. Reitera, ainda, que rege toda a atividade desde a sua fundação, há quase 50 anos, pela correção ética, por valores morais e pelo diálogo."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias