Televisão

Xuxa diz que vai dançar na 5ª edição do Dancing Brasil e está mais preparada

Atração mudou sistema de votação para dar mais poder ao público

Xuxa na abertura de Dancing Brasil, no metrô de São Paulo

Xuxa na abertura de Dancing Brasil, no metrô de São Paulo Blad Meneghel/ Record TV

São Paulo

"Dancing Brasil é o melhor, mais bonito e mais bem feito programa de dança do Brasil". É dessa forma que a apresentadora Xuxa Meneghel, 56, define a importância do reality na Record, que estreia a quinta temporada nesta quarta-feira (3)

"Sim, dançarei, sim [nessa edição]. Só não posso adiantar, pois isso é decidido pela produção", diz a eterna rainha dos Baixinhos, que terá pela segunda vez o namorado, Junno Andrade, 55, como seu fiel escudeiro e assistente de palco. "É sempre bom tê-lo ao meu lado, seja trabalhando ou não. Ele me ajuda em tudo."

No programa, 13 participantes vão dançar, remexer o esqueleto e precisarão provar para o criterioso trio de jurados e para público de casa, cada vez mais exigente, que merecem levar o prêmio de R$ 500 mil. No time feminino estão: a atriz e jornalista Alinne Prado, a atleta Bia Feres, a ex-paquita Catia Paganote, a ginasta Dany Hypolito, a cantora Maria Cecília, da dupla com Rodolfo, a atriz e jornalista Natalia Guimarães e a atriz e psicóloga Maria Paula.

Já do lado masculino estão o cantor MC Koringa, o ator Ricardo Vianna, o empresário e ator Thierry Figueira, o humorista Victor Sarro, o cantor Vinicius D´black e o violinista e cantor Zéca Lima. O júri continua com a mesma composição: Fernanda Chamma, Jaime Arôxa e Paulo Goulart Filho.

Uma novidade desta edição é a atribuição de um peso maior na votação para o público de casa, que antes só votava na escolha de quem deveria sair. Agora,  o telespectador também vai poder votar durante toda a apresentação dos candidatos. A somatória das notas do publico gerará uma média que será incorporada a dos jurados. 

"O mais legal são os novos participantes e suas histórias. Isso faz toda a diferença no programa, opina Xuxa, que diz não se preocupar com possíveis comentários de ter uma ex-paquita na atração. "Já é a terceira paquita a participar e já tivemos um paquito também. Não creio que existirá ciúmes."

Mais segura com o ao vivo, Xuxa se diz confiante para fazer a melhor temporada. "Tivemos uma parada de seis meses sem o Dancing, isso fez a gente se preparar um pouco mais para esta temporada. Espero que tudo saia ainda melhor."

PRONTOS PARA A BATALHA

Nenhum dos participantes se sente mais favorito do que o outro. A sensação é de que todos chegam em meio às mesmas condições. Mesmo com intimidade com a dança desde criança, a ex-paquita carioca Catia Paganote, 43, entra com os pés no chão.

"Fui paquita durante anos, fiz balé, capoeira, patinação e jazz. Os outros ritmos não tão populares como valsa e paso doble serão um desafio de superação para mim, mas tenho convicção de que me sairei bem. Meu objetivo é ganhar", diz Paganote, que já participou de outro reality da Record, A Fazenda 10, da qual fui expulsa por agredir o humorista Evandro Santo, o Christian Pior.

De vez em quando, o humorista paulista Victor Sarro, 30, costuma publicar vídeos dançando axé nas redes sociais. Engana-se quem pensa que ele é um especialista. "Dançar profissionalmente é outra coisa. Espero me empenhar muito, me dedicar e chegar o mais longe possível”, diz. Ele completa: "Nem de perto sou favorito. No workshop, eu vi a Bia Feres colocando o nariz no joelho no alongamento. A menina dança dentro da água, imagina o que vai fazer fora dela."

A atriz e jornalista mineira Natalia Guimarães, 34, afirma que ficou mais íntima da dança quando foi rainha da bateria da escola de samba Vila Isabel, em 2008 e em 2009. “Acredito que a experiência dos concursos de beleza podem ajudar também”, revela.

A cantora de Campo Grande (MS) Maria Cecília, 33, só sabe passos básicos. Mas a animação dela para a disputa é o que conta. "Tenho absoluta certeza que [a participação] vai me ajudar muito, tanto na postura quanto na desenvoltura no palco. Sempre quis dançar, mas nunca me dediquei."

Outra concorrente ao prêmio da temporada, a ginasta paulista Dany Hypolito, 34, já usou de ritmos para provas em sua modalidade. Ela também tem um noivo professor de dança. "Vai ser muito bom para a minha função atual. Vai me ajudar a me soltar mais e a me fazer relaxar em alguns momentos."

JUNNO NO PALCO

Esse será o segundo ano de Junno Andrade, 55, no palco do Dancing Brasil ao lado de Xuxa, sua namorada desde 2012. Assim como ela, ele também se enxerga mais bem preparado para comandar as entrevistas e os bastidores.

"Estar ao lado de Xu já é motivo para sentir frio na barriga, mas numa apresentação ao vivo, com a responsabilidade de apresentar um programa do tamanho do Dancing, com tantos profissionais incríveis, não há como não sentir esse friozinho. É até bom, porque ficamos mais atentos", aponta.

Para ele, estar no palco em meio a uma competição é como estar no teatro ou em um musical. "Qualquer profissional que encarar esse desafio sai de lá melhor, maior, tanto os participantes, os bailarinos, os músicos, jurados. Enfim, a gente sai vencedor, com a sensação de subir no pódio", analisa.

Mais maduro do que na edição de 2018, que deu a vitória para Pérola Faria, Junno revela que ainda tem muito o que aprender. "Eu me sinto muito mais seguro para essa nova temporada, mais experiente." E não está descartada a hipótese de cair na dança. "Eles sabem que podem contar comigo, se tiver que fazer algo pelo programa eu vou e faço, não sou reticente ao trabalho. Mas, tomara que eles não precisem."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem