Televisão

Reality culinário de Ana Maria Braga estreia com elenco variado para disputa de R$ 50 mil

Competição terá João Vitti, Xande de Pilares e Valesca Popozuda

Elenco do Super Chef Celebridades: João Vitti, Carol Nakamura, Luciana Vendramini, Valesca Popozuda, Bruno de Luca, Xande de Pilares, Solange Couto, Nando Rodrigues - Divulgação
Cris Veronez
Rio de Janeiro

Com uma abundância de realities culinários na televisão brasileira, o Super Chef Celebridades volta ao programa Maria Você (Globo) nesta segunda-feira (17) para sua oitava temporada com uma equipe bastante variada no que diz respeito aos seus conhecimentos na cozinha. 

Os escolhidos para essa temporada são os atores Bruno de Luca, Carol Nakamura, João Vitti, Luciana Vendramini, Nando Rodrigues e Solange Couto, além dos cantores Valesca Popozuda e Xande de Pilares. O vencedor da disputa apresentada por Ana Maria Braga leva o prêmio de R$ 50 mil.

Se por um lado Bruno de Luca afirma não saber muita coisa, fazendo apenas ovos e macarrão quando necessário, Xande de Pilares e Valesca Popozuda contam que não fazem feio na cozinha, apesar de se limitarem aos pratos mais práticos, do dia a dia. A palavra de ordem para todos, porém, é aprender.  

João Vitti adiz ser um curioso na cozinha e considera a culinária um exercício de afetividade, que mexe com todos os sentidos do ser humano e que traz paz. Mas o espírito competitivo também aparece nos objetivos do ator: “Estou muito afim de ganhar”, afirma ele.

A disponibilidade de aprender e de “meter a cara”, segundo o ator, é seu ponto mais forte. Já o fraco são os doces, com os quais ele não tem muita familiaridade para preparar. No entanto, um arroz soltinho, aquele feijão de dar inveja e um polpetone é com ele mesmo.

Vitti também exalta a capacidade de seus concorrentes no programa: “Tem gente aqui que cozinha pra caramba. Imagino que a Solange Couto tenha um arsenal de culinária baiana, mas o mais importante acho que é a gente se divertir. O grupo é bacana e já demos muitas risadas.”

Solange minimiza os elogios do colega de profissão, e diz que cozinha “do seu jeito, e não no nível de chef”. Encantada com a cozinha do programa, que ela chamou de "uma Disney", ela confessar não ser boa de empratar e diz já ter aprendido alguns truques no primeiro laboratório da atração.

“Tinha fascínio por aprender a cortar temperos, porque nunca soube. Mão sabia que importava a faca em si, e não só o seu manuseio. É uma faca grande, com a ponta abobadada, para fazer movimento de gangorra nela (...) Gosto de comida bonita, dos cubinhos pequenininhos do mesmo tamanho. Fica delicado. Eu tenho muito o que aprender aqui”, afirma a atriz. 

Ao longo da competição os participantes passarão por workshops culinários ministrados por cozinheiros renomados e participarão de provas que testarão os conhecimentos adquiridos durante as aulas. Em todas elas, eles serão avaliados por um júri encabeçado pelo chef francês Roland Villard. A cada prova, outros especialistas em gastronomia e artistas convidados se revezarão para avaliar os competidores.

Em jogo, está a desejada imunidade. Quem ficar sem o benefício, enfrentará ainda a temida Panela de Pressão, parte em que eles disputam a preferência do público, que determinará, através de votação no site oficial, quem deixará o programa. 

COMPETIÇÃO E PREPARO

Nando Rodrigues, que afirma ser competitivo, já se prepara mesmo fora do programa: “Eu estou vendo videos, comprei um livro, fiquei durante 11 horas no restaurante de um amigo limpando peixe, aprendendo finalizações… Acho que todo aprendizado nesse ambiente é válido.”

Ele diz que vai se esforçar e treinar em casa o que aprender no reality, embora seja uma pesoa que funciona melhor sob pressão. “Adoro isso. No teatro, na TV…. Você estar seguro te ajuda a segurar a pressão melhor. Se eu tenho algo me estimulando, meu empenho acaba sendo maior”, diz.

Já o ator e apresentador Bruno de Luca diz que faz, no máximo, um ovo ou um macarrão e, por isso, vê no programa a oportunidade de aprender. "Mas sou esforçado, estudioso. No mínimo, vou aprender algumas coisinhas com os chefs. Só não garanto que o pessoal vá gostar”, brinca.

Segundo ele, aprender a cozinhar é um desejo antigo. “Moro sozinho e sempre vou à casa da minha mãe para comer ou então acabo comendo fora. Cozinhar vai ser útil demais, porque além de economizar, não precisando comer sempre na rua, vou poder preparar pratos mais saudáveis”, planeja.

Luciana Vendramini tem uma visão próxima a de João Vitti e aponta o ato de cozinhar como uma oportunidade de convivência: “É um momento de reunião de amigos, de família. Sempre tenho ajuda dos meus convidados na cozinha, porque me atrapalho bastante”, confidencia a atriz. 

A atriz já se vira na cozinha e até arrisca um pouco para manter sua dieta lactovegetariana.  "Não faço pratos chiquérrimos, mas sou especialista em massas e saladas. No Super Chef quero aprender muito e poder mostrar para minha família e amigos que não sou tão ruim nem atrapalhada quanto eles pensam”, brinca ela.

Carol Nakamura  e Valesca Popozuda também afirma ter alguma experiência na cozinha, mas focada apenas no cardápio dos filhos. Agora querem ampliar suas opções. “As coisas que eu sabia fazer eram sopa, mingau, coisas de bebê…", conta a atriz. 

"Todas as vezes que eu ia receber as pessoas, eu sempre gostava de colocar a mesa e fazer um jantar incrível, mas eu só sabia fazer três pratos: estrogonofe, macarrão e bife a milanesa, então era sempre a mesma coisa. Eu já sofria bullying com isso”, afirma Nakamura aos risos.

Valesca diz que vai treinar em casa, e que vai colocar todo mundo para ser cobaia: mãe, filho, irmãs, afilhada… No entanto, apesar da garra com que pretende levar sua participação no quadro, ela afirma que não vai se pressionar muito, para não ficar triste se for eliminada. “Eu choro”, afirma.

“Eu e a cozinha não nos damos muito bem, sabe? Mas eu sempre cozinhei muito aquelas coisas básicas. Quando fui para a Gaiola das Popozudas, Pablo tinha de oito a nove meses. Não tinha dinheiro para comprar papinhas prontas, então eu ia para a cozinha fazer”, relembra.

A cantora diz que sabe fazer pratos populares, como rabada e carne assada, e que “restaurante chique” não é para ela. “Aqui a gente faz um prato sofisticado, que quem está com fome mesmo não dá para comer. (...)  Vou num restaurante chique e pago um dinheirão para sair com fome! Não serve pra mim”.

Já Xande de Pilares afirma estar pronto pra ajudar os colegas que precisarem. Ele mesmo afirma não trabalhar muito bem sob pressão e não gosta de competir. Seu grande objetivo no programa é sair totalmente pronto para fazer um estrogonofe. 

“Eu faço o básico. Quando eu morava lá no Turano a minha avó ensinava todo mundo a cozinhar. Arroz, feijão, um bifezinho… Não faço feio não. Mas tem umas coisas que gostaria de aprender… Não sei fazer estrogonofe. Dizem que é fácil, mas e se eu errar a mão?”

O cantor, no entanto, não esconde a surpresa que foi o primeiro workshop. “Existem coisas mínimas que fazem uma diferença danada. Desde o corte do legume até a forma que você vai temperar. Tem coisas que você acha que tem que encher de óleo e não precisa. Aprendi a cortar alho e aprendi que a casca da cebola as vezes ajuda a dourar o molho”, comemora.
 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias