Televisão

Julia Konrad diz que acompanhou psicografia para viver médium em 'Kardec'

Atriz conta que fez um estudo profundo sobre o processo de psicografia

Júlia Konrad
Júlia Konrad - Divulgação/Sony
Fabiana Schiavon
São Paulo

A atriz Julia Konrad, 28, acaba de se despedir de Raimunda, personagem de "O Sétimo Guardião" (Globo), e de lançar o longa "Kardec". Enquanto planeja viagens e uns dias de folga, ela conta como se preparou para viver uma médium nos cinemas.

No filme, Julia interpreta Ruth-Celine, uma das médiuns que ajudou Allan Kardec (Leonardo Medeiros) a escrever "O Livro dos Espíritos", e que psicografava e falava por intermédio dos espíritos. A atriz conta que visitou um centro espírita em São Paulo, indicado pelo diretor Wagner de Assis.

"Fui lá em um dia em que estava acontecendo uma sessão de psicografia e acompanhei de perto o trabalho das médiuns. Foi muito interessante! Isso me ajudou bastante a compor a personagem e a pegar os trejeitos físicos", diz a atriz.

Julia conta que fez um estudo profundo sobre o processo de psicografia e incorporação para entender o que realmente ocorre com o corpo dos médiuns. A atriz diz que não se considera espírita.

"Acredito em algumas coisas da doutrina, como por exemplo vibração e energia e é esse o meu contato com a religião espírita", conta a atriz, que aprendeu mais sobre Kardec ao fazer o longa. "Não sabia, por exemplo, muitos detalhes sobre a vida dele em si, os problemas que ele teve que superar e as batalhas que ele teve que vencer."

O longa de Wagner de Assis já foi visto por 337 mil pessoas até a última terça-feira (21), e faturou mais de R$ 4,4 milhões em bilheteria. "Kardec" está em quarto lugar –atrás apenas de "Vingadores", "Pokémon" e "Cemitério Maldito", segundo o site Exibidor.   

Em clima de férias após intensas gravações de "O Sétimo Guardião" (Globo), Julia diz que não se abala com as críticas que a novela de Agnaldo Silva recebeu. "Acredito que toda a obra de ficção está suscetível a receber críticas, é natural. O público acompanhou de perto a novela e recebi um feedback bacana. Essa troca com o público é muito enriquecedora", conta a atriz, que pretende viajar e curtir os primeiros dias de férias.

A artista também diz que acompanha a política brasileira e chegou a convocar a sociedade a participar das manifestações contra os cortes na educação. Julia afirma que é preciso saber exatamente o que dizer, já que o que está na internet pode influenciar centenas de pessoas. 

"A internet é um local de fala, de debate, mas também de 'fake news'. É importante ter conhecimento sobre o que está falando para não propagar ainda mais notícias falsas, mas é bacana poder se expressar e promover reflexões. No campo da política, para mim, é ter voz ativa no micro e no macroambiente, é um direito de todo cidadão", conclui Julia. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias