Televisão

'Terminar em um momento legal é gesto de carinho com Tá no Ar', afirma Marcelo Adnet

Estreia da última temporada terá cena de funeral e clipe polêmico

Marcelo Adnet e Veronica Debom em esquete da última temporada do Tá no Ar
Marcelo Adnet e Veronica Debom em esquete da última temporada do Tá no Ar - Crédito: Globo / Estevam Avellar

Cris Veronez
Rio de Janeiro

"Terminar em um momento legal é um gesto de carinho com o programa', afirma Marcelo Adnet, 37, sobre a despedida do humorístico "Tá no Ar: a TV na TV". A atração inicia sua sexta e última temporada na Globo nesta terça-feira (15), após a estreia do Big Brother Brasil

A decisão pelo término, segundo o comediante e um dos criadores da atração, não foi uma surpresa. "Tínhamos pensado nisso há um ou dois anos, mas o programa ainda tinha fôlego. Foi um término calculado. Pensamos em fazer mais uma ou duas temporadas e depois terminar. Já até demos uma sofridinha. Agora já foi.”

O ator e roteirista diz que é triste acabar um projeto quando ele já está naturalmente sendo desmanchado, e que a equipe de “Tá no Ar” vai se dar ao luxo de terminar a atração em um momento bacana de sua trajetória. “É um gesto de carinho com o programa."

Adnet lembra, ainda, dos companheiros que ajudaram a desenvolver o programa ao longo dos últimos anos. "Tenho o maior orgulho de ter feito essa criação com o Marcius [Melhem] e o Maurício Farias. Junto com o ‘15 Minutos’, que criei com a Lilian Amarante lá na MTV, é a criação da qual eu mais tenho orgulho e que mais deu certo."

 

Ele também elegeu seus três personagens favoritos: o Militante Revoltado, o índio Obirajara Dominique e Jorge Bevilacqua. Após levar uma vida corrida por causa da atração, Adnet conta que uma das coisas que pretende fazer com o tempo livre é cuidar da saúde e descansar um pouco, já que o programa ocupa boa parte de sua agenda.

Para ele, a falta de tempo foi também um dos motivos de o programa Adnight ("late show" semanal exibido em duas temporadas na Globo, de 2016 a 2017) não ter saído como gostaria. “Qualquer coisa que a gente faça além do programa fica apertado, e por isso não fiz o ‘Adnight’ com o tempo e da maneira como eu queria. Realmente é uma escolha. Ou faz uma coisa ou outra.”

Já Marcius Melhem, 46, que agora cuida da pasta de humor da Globo, disse que a redação do Tá no Ar já tem outro projeto para se dedicar. "A atração surgiu como uma novidade muito grande, se manteve e se mantém com frescor, acompanhando as loucuras desse país. Poderíamos fazê-lo por mais dez anos. Mas somos inquietos e queremos fazer outras coisas. Já temos uma outra ideia e temos que concentrar esforços nela. A máquina tem que girar.”

Melhem afirma que, mesmo ocupando um cargo de chefia, não quer se desligar da criação. A ideia é acumular a nova função com as atividades de ator e roteirista, como ele faz no Tá no Ar. "Uma das condições de eu assumir esse lugar era que eu não deixasse de ser um autor. Não quero ir para trás da mesa e ficar dizendo sim ou não para projetos. Quero criar junto [...] Criar é a coisa mais importante da minha vida.”

Ao longo das seis temporadas do programa, a família Tá no Ar foi crescendo também fora dos Estúdios da Globo. Os atores Márcio Vito, Carol Portes e Luana Martau tiveram filhos. "A gente realmente virou uma família. Ficamos muito amigos e estamos sempre juntos. É doloroso acabar, confesso. Mas ao mesmo tempo tenho muita gratidão de ter feito parte deste programa", afirmou Carol Portes, mãe de Helena, de um ano.

A última temporada do humorístico terá um funeral e um clipe polêmico que aborda o feminismo, segundo atores e roteiristas.  Georgiana Góes é a protagonista do clipe, e garante que ele vai dar o que falar. Na esquete, ela e o personagem de Danton Mello serão um casal.

“Na terceira temporada do Tá no Ar, falei para o Adnet que eu gostaria muito fazer aqueles clipes que encerram os episódios. Então eu fiz esse e foi incrível participar. É forte.”

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem