Televisão

'Beleza GG', nova série do E!, mostra rotina de três modelos plus size e bastidores do mercado

Fluvia Lacerda, Mayara Russi e Denise Gimenez estrelam temporada com 10 episódios

Fluvia Lacerda, Denise Gimenez e Mayara Russi são modelos plus size com carreiras de sucesso no Brasil
Fluvia Lacerda, Denise Gimenez e Mayara Russi são modelos plus size com carreiras de sucesso no Brasil - Darwin Campos/Divulgação

Beatriz Fialho
São Paulo

"Beleza GG", nova série do canal E! que explora os bastidores da vida de três modelos plus size, estreia nesta quarta (3), às 21h. Em 10 episódios, Fluvia Lacerda, Mayara Russi e Denise Gimenez abrem suas rotinas em frente às câmeras. 

"O intuito do programa é mostrar que o nosso dia a dia não é algo fácil, porque as pessoas têm uma imagem de que é muito glamouroso ser modelo. Não é nada do que a gente posta nas redes!", afirmou Denise, que diz ser uma das pioneiras no ramo. 

A série, produzida em parceria com a Manjubinha Produções, estava no papel desde 2015 e contou com a consultoria de uma especialista no mercado para selecionar as modelos. O reality mostra negociações de campanhas, castings (seleção das modelos) e sessões de fotos, assim como dramas pessoais das modelos, que estão em fases diferentes da carreira.

Gimenez, que tem 15 anos de carreira, enfrenta problemas com o peso, considerado abaixo do esperado para uma modelo plus size —embora existam debates sobre as medidas, mulheres com manequim entre 46 e 50 são as mais buscadas nesse mercado. Russi é mãe solo de uma menina e um menino e precisará mudar um pouco suas medidas para se encaixar no mercado internacional. Fluvia, por outro lado, já mora nos Estados Unidos e está conciliando sua carreira no exterior com a carreira no Brasil. 

"Nesse meu tempo de carreira aprendi que a parte mais importante é passar algo positivo para as pessoas. Vejo quantas mulheres se libertaram por conta do meu trabalho e vejo que estou no caminho certo", afirma Russi, que é atualmente garota propaganda 

O programa também deve mostrar o mercado de beleza plus size no país, que está se desenvolvendo. Para as modelos, no entanto, as marcas ainda têm muito o que aprender sobre diversidade e empatia, além de se profissionalizarem no mercado de moda para mulheres gordas e não encarar isso como apenas um nicho extra de mercado para obter dinheiro.

"Eu me interessei muito pela ideia da série porque vivi situações profissionais no Brasil que deixaram a desejar. Eu queria mostrar essa diferença de trabalhar aqui sendo uma modelo gorda e trabalhar no mercado profissional no exterior", afirmou Fluvia, que tem uma carreira consolidada em Nova York e é autora do livro "Gorda Não é Palavrão". "Para mim é muito claro como mudou. O que persisto é o lance da profissionalização que ainda não existe. Aqui no Brasil não somos levadas a sério."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem