Televisão

'Minissérie será à altura de Angela Maria', afirma Silvio de Abreu

A trama deve estrear na Globo em 2019 e pode ter oito capítulos

O autor Silvio de Abreu
O autor Silvio de Abreu - Zanone Fraissat-31.jul.2018/Folhapress

Guilherme Machado
São Paulo

O autor Silvio de Abreu foi uma dos artistas que foi dar seu último adeus à cantora Angela Maria, que morreu na noite deste sábado (29) aos 89 anos. O atual chefe do departamento de dramaturgia da Globo falou sobre a minissérie que a emissora prepara em homenagem à cantora, e prometeu muita emoção.

"Estive com ela há um mês mais ou menos porque estamos preparando um minissérie sobre a vida dela. Tive um encontro com ela e com Daniel para acertar as bases e, também, para que ela me contasse coisas além daquelas que já foram publicadas. Ela foi uma simpatia enorme. Essa minissérie vai ser um grande trabalho e vai ser uma homenagem à altura do que a Ângela Maria merece", afirma Abreu.

Ele também afirmou que havia convidado a cantora e seu marido, Daniel D'Angelo, para participarem da obra, em uma cena na qual os dois teriam sua cerimônia de casamento. "A ideia que eu tinha era terminar a minissérie com casamento dela com o Daniel, que eles nunca se casaram, iam agora."

A história da minissérie, segundo Silvio de Abreu, é de uma mulher que procura sempre o amor, canta o amor e tem muitas decepções até que encontra o verdadeiro amor e termina tudo bonito. Ele também se declarou fã da cantora.

"Sempre fui um grande fã de Ângela Maria, desde que era criança. Sempre acompanhei, quando comecei a trabalhar como autor eu sempre incluí. Eu fiz uma novela, 'Cambalacho', em que ela era uma personagem da novela. Acho a voz mais bonita que o Brasil já teve."

A ideia da Globo é gravar uma minissérie em oito capítulos sobre a vida da cantora. Escrita por Felipe Miguez, autor de "Cheias de Charme" e "Geração Brasil", a trama deve ir ao ar no ano que vem. As escalações para o elenco só devem começar em janeiro, mas um nome já é cotado para interpretar a protagonista: Claudia Abreu. Ela viveria a diva aos 50 anos, quando conheceu o atual marido, que tinha 17.

O autor disse ainda que se sentia próximo de Ângela por conta do estilo popular. "Ela era muito criticada porque era muito popular, e no Brasil tudo que é muito popular é muito criticado, vide as novelas. Acho que tínhamos muita coisa em comum, um gosto bastante popular e nem por isso ela deixou de gravar coisas extremamente importantes. Ela sempre foi uma pessoal muito especial, é a última das grandes estrelas do rádio".

Sob cantos e aplausos, Angela Maria foi enterrada na tarde deste domingo (30) em São Paulo. O corpo foi velado no Cemitério de Congonhas, em São Paulo, onde também aconteceu o enterro.

UOL
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem