Televisão

'O Tempo Não Para' conta história de uma família congelada que acorda em São Paulo após 130 anos

Novo folhetim trama das 19h da Globo estreia nesta terça-feira

Samuca (Nicolas Prattes) e Marocas (Juliana Paiva) em cena da novela
Samuca (Nicolas Prattes) e Marocas (Juliana Paiva) em cena da novela - Divulgação

Leonardo Volpato
São Paulo

Estreia nesta terça (31), na Globo, a novela "O Tempo Não Para", história que substitui a contestada "Deus Salve o Rei" e que tem a missão de elevar o ibope da faixa das sete da emissora. A narrativa principal mostra o romance entre o jovem ricaço Samuca (Nicolas Prattes) e a mocinha do século 19 Marocas (Juliana Paiva), que permaneceu congelada por 132 anos até acordar em uma praia paulista.

O casal de mocinhos se conhece na praia de Pernambuco, no Guarujá (a 86 km de São Paulo), após Marocas e sua família terem sofrido um acidente no século 19: ela e sua família estavam em uma embarcação que colidiu contra um iceberg. É paixão à primeira vista.

"Esse primeiro encontro é inusitado. O Samuca se apaixona e tem interesse em mostrar o mundo novo que a Marocas adorará descobrir. Conceitos, costumes, maneiras de lidar com as coisas. Tudo é novo. A família Sabino Machado vai estranhar luz elétrica, vaso sanitário, tudo", diz Juliana.

Samuca também passará por um aprendizado. "Ela vai ensiná-lo a pensar, a sentir e a agir. É engraçado, porque ela não pode vê-lo de bermuda. Sem camisa, então, é um desrespeito", diverte-se Prattes. Uma das primeiras cenas mostra o casal andando pela avenida Paulista, universo extremamente novo para Marocas.

Só que o romance vai incomodar Betina, noiva de Samuca. A moça vai juntar forças com o advogado Emílio (João Baldasserini) para tentar acabar de vez com a família da rival. Com humor, a novela de Mario Teixeira também vai tocar em feridas da sociedade.

"A comédia sempre lança luz sobre as coisas. Algumas questões sociais estarão presentes. Há personagens que eram escravos em 1886 e que despertam em 2018 livres. Só que, no Brasil, ainda parece acontecer escravidão", destaca Teixeira. 

ALAVANCAR O IBOPE

A novela "O Tempo Não Para" estreia para tentar alavancar o ibope morno das 19h. A audiência de "Deus Salve o Rei" ficou em torno dos 25 pontos de média (na Grande SP, cada ponto equivale a 72 mil domicílios). A trama sofreu mudanças e, apesar de ter chegado perto dos 30 pontos na reta final, não empolgou.

Autor da nova história, Mario Teixeira está confiante. "'Deus Salve o Rei' teve questões que foram sendo resolvidas, mas foi boa. A de agora é uma grande novela. Espero que seja como catapora: tem de pegar, como diria Silvio de Abreu [coordenador de dramaturgia]."

Segundo o autor Mario Teixeira, o primeiro capítulo de "O Tempo Não Para” (Globo) será o único passado no século 19. Amanhã, os "congelados" já viverão em dias atuais. As cenas iniciais da trama terão muitos efeitos visuais, sobretudo para mostrar o naufrágio da embarcação onde estarão os Sabino Machado.

"Eu imaginei várias loucuras, e o Léo [Nogueira, diretor] realizou. A história parte de um tema de fantasia. Todos os efeitos visuais foram feitos dentro do estúdio", diz.

Para o diretor Leonardo Nogueira, outra novidade é a postura dos personagens. "Não queríamos que os ‘congelados’ se relacionassem ou pegassem um copo como pessoas dos dias atuais. Então, os atores tiveram aulas de comportamento e etiqueta."

ESNOBADA POR GALÃ

A grande pedra no sapato do casal Marocas (Juliana Paiva) e Samuca (Nicolas Prattes) será Betina (Cleo Pires). No começo da história, ela é noiva do rapaz. Porém, com a chegada da garota do século 19 e de sua aproximação do mocinho, tudo mudará: o antigo romance, que já era complicado, vai se perder de vez.

"Acho que a Betina tem muito a ver comigo, com relação a ter atitude, ser autônoma, focada. Mas, quando ela vê que está perdendo o cara de que ela gosta para uma menina de século passado, usará todas as armas, morais ou imorais, para conseguir Samuca de volta", revela Cleo. "Ela vai passar por cima de qualquer um por ciúme. É uma atitude que não justifica, mas explica."

Grande vilão da novela, Emílio (João Baldasserini) vai fazer de tudo para tirar proveito da família Sabino Machado na trama. "É um cara ambicioso, oportunista, preconceituoso. Ele vira advogado do Dom Sabino [Edson Celulari] quando descobre que ele pode ser dono de metade de São Paulo. E quer dar um golpe”, diz o ator.

Mas o picareta acabará se aproximando de Marocas (Juliana Paiva), a filha de Sabino. "Pode ser que ele descubra um sentimento real por ela e melhore como pessoa. Mas, a princípio, ele é um cara ruim", adianta Baldasserini, que já torce pela repercussão.

"Uma senhora, uma vez, não quis tirar foto comigo por conta de um personagem de que ela não gostava [o Beto, de ‘Haja Coração’, em 2016]. Desta vez, se rolar agressão, que bata de leve", brinca.

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem