Televisão

Apesar da audiência inconstante, MasterChef termina edição com bons resultados para a Band

Maria Antonia e Hugo disputarão o título do reality na próxima terça

Hugo e Maria Antonia na disputa pelo título do atual MasterChef
Hugo e Maria Antonia na disputa pelo título do atual MasterChef - Divulgação

Leandro Vieira
São Paulo

Acaba na próxima terça (31) a quinta edição do reality culinário MasterChef, para cozinheiros amadores. Vão disputar o prêmio de R$ 200 mil, com bolsa de estudos na renomada escola de culinária Le Cordon Bleu de Paris, os chefs Maria Antonia, 36, e Hugo, 25.

A prova já foi gravada, mas o resultado só será decretado ao vivo no programa, que vai ao ar a partir das 22h30. Ainda que tenha oscilado no Ibope, a edição deste ano rendeu bons frutos à Band. Com média de 5 pontos de audiência e picos de 7 pontos, o programa garantiu à emissora o terceiro lugar na maioria dos dias de exibição (cada ponto equivale a 72 mil domicílios na Grande SP).

Também é uma das maiores fontes de faturamento da emissora e, neste ano, teve aumento de 8% na receita em relação a 2017. Para Henrique Fogaça, um dos jurados, o motivo de o MasterChef ainda atrair o público está nas mudanças feitas a cada edição. "Cada versão tem um cronograma diferente. As temporadas apresentam desafios mais pesados, o que dificulta para os amadores."

O também jurado Erick Jacquin destaca o fator surpresa. "Cada momento é diferente no reality: você imagina uma coisa e acontece outra. Não há como fazer uma previsão. Por isso o programa é um sucesso." ​

Já a argentina Paola Carosella destaca uma particularidade da temporada deste ano. "Acho que mudou a dinâmica que foi colocada para os participantes. Esta edição envolvia muito mais a decisão deles sobre quem se salvava e quem ficava."

A gaúcha Maria Antonia e o paulista Hugo são os chefs que disputarão o título do MasterChef e os jurados opinam sobre suas trajetórias. "Os dois são bons cozinheiros. Além disso, foram bons jogadores, souberam competir, são gente boa e a torcida foi bacana com eles", avalia o chef francês Erick Jacquin.

"Maria Antonia não rende bem sobre pressão, mas, quando está segura, cozinha brilhantemente", analisa Paola Carosella, outra jurada. "O Hugo, no começo do programa, era inseguro. Ele foi melhorando com o tempo. Agora, o excesso de confiança pode atrapalhá-lo. Ele, porém, é criativo, pensa mais fora da caixa", completa.

Henrique Fogaça ressalta o amadurecimento de Hugo e o arrojo de Maria Antonia. "Ele consegue pensar bem nos ingredientes e harmonizar os pratos. Já ela arrisca bastante e costuma ousar mais no que faz."

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem