Televisão

Vilãs Susana e Petúlia divertem o público da novela 'Orgulho e Paixão'

Trama da Globo também tem Olegário como personagem cômico

Atores Joaquim Lopes, Alessandra Negrini e Grace Gianoukas posam em frente a fundo cinza
Susana (Alessandra Negrini, à esq.), Petúlia (Grace Gianoukas) e Olégário (Joaquim Lopes), de "Orgulho e Paixão" - Globo/Divulgação
Leandro Vieira
São Paulo

Se vilã de novela costuma causar ódio no telespectador, Susana (Alessandra Negrini) e Petúlia (Grace Gianoukas), de “Orgulho e Paixão”, fogem à regra.

A dupla tem ganhado destaque na trama das seis da Globo mesclando maldades e muitas cenas hilárias. E o público pode esperar mais das duas. “Não faço ideia do que a Susana pode aprontar ainda. Dela, é possível esperar qualquer coisa. Ela é impossível!”, diz Alessandra Negrini.

Falsa e manipuladora, ela estará sempre ao lado de Petúlia, empregada que é tratada por ela como objeto. “As pessoas percebem que, no fundo, a Petúlia não é ruim, é só um pouco cobra e fiel a quem lhe paga”, define Grace. A atriz fala que a personagem, embora não seja má, se deixa levar pela situação. “Às vezes, ela se diverte com as missões que recebe. Às vezes, reclama e revida. Mas, no fundo, dá para perceber que ela torce pelo amor. E o público a adora por ela tentar se dar bem com os bonitões”, conta Grace.

Completa ainda esse grupo de vilões cômicos o golpista Olegário (Joaquim Lopes). Ex-marido de Susana, ele sabe do passado pouco lisonjeiro dela e vive ameaçando revelá-lo. No capítulo desta quarta, a moça vai usar da sedução para que ele, pelo menos por algum tempo, fique calado.

“São dois que não valem nada e têm rendido ótimas cenas de humor. Ele começou a ter uma crise de consciência e quer ser um homem nobre, e a Susana pode sair prejudicada com isso, o que a deixa desesperada. A sequência em que ela tenta fazer a cabeça dele para ficar em silêncio é ótima”, diverte-se Alessandra.

Para Marcos Bernstein, que escreve “Orgulho e Paixão”, o sucesso de Petúlia e Susana está em suas diferenças. “Busquei criar entre elas uma relação que fosse além das maldades que planejam. As duas se completam de uma forma leve e divertida. Enquanto Susana é a responsável pelo planejamento das armações, a Petúlia é quem as executa, usando das suas habilidades."

O autor ainda ressalta que os atritos entre a dupla ajudam a colocar um pouco de molho nas histórias. “Embora exista uma hierarquia entre elas, Petúlia também provoca e debocha de Susana. No fundo, uma acredita ser mais esperta e inteligente do que a outra, mas sabem que, juntas, elas chegam mais rápido ao objetivo que querem conquistar.”

NOVA ALIADA

Susana continua, na novela “Orgulho e Paixão”, com seu objetivo de conquistar o amor e a atenção de Darcy (Thiago Lacerda). Os sentimentos dela, no entanto, não têm nada de verdadeiros. “Ela não sente nenhum amor por ele. Tudo não passa de interesse e obsessão”, define Alessandra Negrini.

O grande problema para a vilã é que o rapaz é apaixonado pela namorada, Elisabeta (Nathalia Dill), de quem não pensa em se separar.

“Susana não mede esforços para conquistar Darcy e, com isso, conseguir ascender socialmente. Ela não tem limites e vai buscar uma nova parceria para ter o que almeja”, explica o autor de “Orgulho e Paixão”, Marcos Bernstein.

Além da empregada Petúlia, Susana vai contar com o apoio da lady Margareth, que será vivida pela atriz Natália do Vale.

Tia de Darcy, ela, que será a nova megera da trama, morava na Inglaterra e vai desembarcar no Brasil no capítulo de terça-feira da próxima semana. Ela não vai gostar do relacionamento do sobrinho e infernizará a vida de Elisabeta.

Ao saber que a ambiciosa Susana também quer a separação do casal, Margareth fará uma parceria com a moça.

O interesse em comum das duas, contudo, para por aí. Margareth quer afastar Darcy e Elisabeta porque espera que o sobrinho se case com sua filha, Briana (Bruna Spínola). Cada uma vai lutar pelo que quer, o que vai gerar novos conflitos no futuro da trama.

DECEPÇÃO AMOROSA

Enquanto Susana e Petúlia fazem o espectador dar risada, outra vilã causa nervosismo no público.

A jovem Fani, interpretada por Tammy di Calafiori, só demonstrava ódio e rancor. O casal Cecília (Anaju Dorigon) e Rômulo (Marcos Pitombo) era a principal vítima de sua fúria —em especial Cecília, sempre atormentada pela garota.

O motivo era um só: Fani teve um relacionamento com Edmundo (Nando Rodrigues), irmão de Rômulo. O rompimento do namoro causou nela uma grande tristeza, sentimento que se transformou em ira contra o ex-cunhado.

Mas isso vai começar a mudar. “A Fani está identificando a sua dor e o seu desgosto pela vida. Ela ainda ressoa rancor, mas quem sabe a volta de um amor possa mudá-la?”, questiona Tammy.

Isso porque Edmundo, depois de uma temporada na Europa, volta ao Brasil, e os dois retomam contato. Comprometido com Ema (Agatha Moreira), o rapaz não vai esconder que ainda tem sentimentos pela jovem.

No capítulo desta sexta, ele vai confessar, após ficar bêbado, que ama Fani. No mesmo episódio, ele tentará conversar com a amada, que não será carinhosa com ele.

“Com os episódios recentes, o público está entendendo melhor que a amargura dela vem do passado e já sente empatia pela Fani. No final das contas, o que ela sente é uma dor de amor”, diz Tammy.

Tudo acabará bem. Edmundo vai se separar de Ema, Fani vai amolecer o coração, e os dois ficarão juntos.

Agora
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias