Televisão

Atendendo ao apelo do público, Globo encerra "Amor à Vida" com beijo gay entre Félix e Niko

Quase dez anos após ter gravado e suprimido na edição o beijo gay da novela "América" (2005), a Globo optou por exibir o desfecho romântico entre dois homossexuais em "Amor à Vida", nesta sexta-feira (31).

O beijo entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), que virou tema de campanha na internet, encerrou a trama do autor Walcyr Carrasco.

"Foi mara", diz Thiago Fragoso sobre beijo em Mateus Solano
Saiba o final dos principais personagens de "Amor à Vida"
Jornalistas acompanharam ao vivo o último capítulo; veja
Leia todas as notícias sobre "Amor à Vida"

Foi o primeiro beijo de amor entre dois homens exibido por uma novela da Globo.

Sua exibição coroou a guinada para o bem de Félix, que era o vilão do folhetim.

"De fato, o público perdoou Félix e isso para mim foi uma surpresa, o vilão ser tão amado", disse o autor, em entrevista ao "F5".

Na trama, Félix e Niko terminaram juntos, cuidando do pai do primeiro, o homofóbico César (Antonio Fagundes), que sofreu um AVC (acidente vascular cerebral).

"Eu não vivo sem você, Carneirinho", disse Félix, antes de beijar o parceiro.

Sobre o beijo, a Globo afirma que "toda cena de novela é consequência da história, responde a uma necessidade dramatúrgica e reflete o momento da sociedade. O beijo entre Félix e Niko selou uma relação que foi construída com muito carinho pelos dois personagens. Foi, portanto, o desdobramento dramatúrgico natural dessa trama".

De acordo com a emissora, "a pertinência desse desfecho foi construída com muita sensibilidade pelo autor, diretor e atores e assim foi percebida pelo público".

A Globo lembrou ainda que "o relacionamento homossexual sempre esteve presente nas nossas novelas e séries de maneira constante, responsável e natural. A cena esteve de acordo com essa premissa e com a relevância para a história".


HISTÓRICO

O tabu do beijo gay na TV brasileira já dura vários anos.

Programas de auditório e telejornais já o exibiram, como no "Fica Comigo", da extinta MTV Brasil, em 2001.

A teledramaturgia, no entanto, tem poucos casos, geralmente entre mulheres.

Em 2005, a Globo cortou a cena em que os atores Bruno Gagliasso e Erom Cordeiro gravaram o beijo entre seus personagens, um estilista e um peão de fazenda, respectivamente. A sequência chegou a ser rodada várias vezes.

Em 2010, a emissora também suprimiu um beijo gay entre dois homens da série "Clandestinos". A cena, no entanto, foi parar na internet.

A Globo também cortou um beijo gay entre Homer e Moe, no episódio "Todo o Mundo Morre um Dia" de "Os Simpsons".

O SBT mostrou o beijo entre duas mulheres —Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Giselle Tigre)— no folhetim "Amor e Revolução" (2011), de Tiago Santiago.

A emissora de Silvio Santos, no entanto, vetou um beijo entre os personagens Jeová (Lui Mendes) e Chico (Carlos Artur Thiré) na mesma trama.

Em "Mulheres Apaixonadas" (2003), da Globo, as personagens Clara (Alinne Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli) só deram um beijo quando a última se vestiu de homem para encenar a peça "Romeu e Julieta".

A extinta TV Manchete também mostrou beijo entre dois homens na série "Mãe de Santo" (1990). Na ocasião, porém, a sequência entre os atores Raí Bastos e Daniel Barcelos foi mostrada contra a luz, mostrando apenas as sombras dos intérpretes.


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem