Saiu no NP

Dama de Marte intigra cidade da Grande São Paulo

Uma linda mulher, de 1,80 m, elegantemente vestida, aparece em reuniões sociais, bares sofisticados, boates, restaurantes, danceterias, coquetéis e chás da elite de Osasco, na Grande São Paulo.

Os que conversam com ela ficam encantados. Dizem chamar-se Zorobabel e afirmam ser de outro planeta, mais evoluído, sem conflitos e sem ódios, onde reinam a harmonia e a paz. Para alguns populares, Zorobabel é de Marte.

Diante desses relatos, em 26 de maio de 1985, o "Notícias Populares" publicou "Mulher de Marte vai às festas e apavora S.Paulo", então a primeira de quatro reportagens sobre a misteriosa mulher.

A desconhecida vestia-se como uma "Dama da Noite", com uma saia aberta acima dos joelhos e ostentava, no pescoço, colares de brilhantes e, nos braços, joias caríssimas, que chamava a atenção à primeira vista. Uma piteira, alongada entre os lábios, o andar elegante, os gestos delicados atraíram os olhares dos jovens, quando apareceu na rua José Fioratti (uma espécie de rua Augusta de Osasco), onde se reuniam moças e rapazes nos finais de semana.

Crédito: José Luís Conceição - mai.1985/Folhapress
Pintura de Zorobabel, a mulher misteriosa que anuncia o fim dos tempos, retratada pelo artista Narciso Martins

Alguns relataram ser uma pomba gira. Houve quem dissesse ser um espírito de uma mulher riquíssima, de nacionalidade italiana, morta em Osasco, anos passados. Suas aparições, na alta sociedade osasquense, correram de boca em boca e até mesmo nas secretarias municipais de Osasco ainda se discute o assunto.

Marciana ou não, a verdade é que centenas de pessoas a viram materializar-se e desmaterializar-se. Ivani Rosa de Campos, residente no Jardim Pombal, contou ao "NP" que em uma reunião de amigas para um chá das 5, Zorobabel apareceu em sua casa. "Quando dei as costas para lhe servir um chá, ela despareceu, desfazendo-se lentamente, segundo minhas amigas", afirmou Ivani.

Helena Maria Ribeiro e Francisca Silva Barbosa também viram Zorobabel no Centro Cultural do Jardim Santo Antônio. De acordo com elas, "é uma mulher fina, delicada para ser uma pomba gira".

A aparição da "Dama de Marte" não durava mais que cinco minutos. Marlene Figueiredo Silva, Carlos Alberto Gomes e Maria Helemiran disseram que Zorobabel apareceu rapidamente no Pronto-Socorro de Osasco entre 5 e 6 horas da tarde. Olhou os doentes e desapareceu.

Em entrevista ao "NP", os três deixaram algumas perguntas no ar: "A piteira que ela usa, não seria uma antena ou aparelho de transmissão para uma nave extraterrestre?", "Não seria um elo de ligação com um Disco Voador?"... No fim das contas, concordavam que, na maioria das vezes, "ela não apareceu fumando".

Crédito: José Luís Conceição - mai.1985/Folhapress
Marlene Figueiredo Silva, Carlos Alberto Gomes e Maria Helemiran comentam, em entrevista ao "NP", que Zorobabel deve ser de outro planeta por desaparecer misteriosamente

Já a senhora Vana, que fazia vestidos de noiva à época, conversou em seu ateliê com uma mulher e, quando perguntou quem era ela, ouviu: "Sou Zorobabel, chego quando ninguém espera e desapareço sem ninguém ver".

A mesma pergunta foi feita por um morador da rua Marques dos Reis, na Vila Pestana, quando encontrou uma elegante senhora, com uma flor na cabeça e longa piteira na mão. "Sou de Marte e estou alguns dias aqui na Terra. Vocês precisam ter a prova que o mundo de vocês está caminhando para o abismo, com a mente muito suja, exigindo direitos, sem cumprir os deveres. É por isso que a Terra está nessa confusão toda. Estarei algum tempo aqui, para ver se a humanidade se corrige", afirmou Zorobabel.

Diante de relatos de pessoas importantes de Osasco, o artista Narciso Martins chegou a pintar um retrato falado de Zorobabel e acreditava não se tratar de uma pomba gira, pois todos os comentários davam conta de que ela era uma mulher elegante, educada, que não admitia palavrões e repudiava as "cantadas" para o sexo.

Um dos galanteadores advertiu que a mulher só dá bons conselhos. "Vocês do mundo terreno só têm a mente suja e só pensam em futilidades. É por isso que o mundo vai terminar em fogo (guerra nuclear). Procure se corrigir, antes que seja tarde demais", teria dito Zorobabel.

Após outros relatos similares a esse, o "NP" de 27 de maio destacou: "Mulher de Marte anuncia o fim do mundo em 1990".

A reportagem trouxe declarações do pintor Waldomiro de Deus, a quem Zorobabel elogiara pelas pinturas e anunciara: "É uma pena que a humanidade não faça coisas boas como vocês fazem. Os seres humanos procuram se destruir uns aos outros, pela ambição do dinheiro, pela inveja, pelo ódio, pela violência. Não valorizam os poderes que têm na mente e nas mãos, são egoístas e fúteis, tendo uma vida inútil. Dentro de cinco anos, 1990, começará o final dos tempos, como terremotos, maremotos e guerras. É inevitável. O mundo acabará em lágrimas, com fogo (guerra nuclear). Surgirá uma nova geração, mais humana, mais justa, mais compreensiva, com mais amor e compreensão".


Waldomiro de Deus contou que, "ao dizer as últimas palavras, ela já estava flutuando no ar e foi desaparecendo aos poucos".

Em 28 de maio de 1985, com o título "Dama de Marte apareceu na Secretaria da Cultura", o "Notícias Populares" destacava pela terceira vez relatos sobre a misteriosa mulher. Desta vez, ela tinha se apresentado a Sebastião Bognar, o secretário da Cultura da cidade, durante um coquetel em homenagem a um funcionário.

O secretário Bognar ficou tão espantado com a educação e delicadeza da "Dama de Marte" que até divulgou que iria homenageá-la, dando seu nome a uma praça.

A reportagem também trouxe a opinião do psiquiatra Vivaldo Simões, de Osasco, que, cético, declarou: "Essas coisas aparecem para os que têm olho para ver e não veem, para os que têm ouvido e não ouvem".

Crédito: José Luís Conceição - mai.1985/Folhapress
No Centro Cultural do Jardim Santo Antônio, em Osasco (SP), o pintor Waldomiro de Deus mostra desenhos para crianças de Zorobabel

Extraterrestre, espírito ou lenda urbana? Sem conseguir resposta a essa questão, o "Notícias Populares" encerrou a série de reportagens no dia 29 de maio de 85.

No texto "Dama de Marte apareceu numa festa em Vila Sônia", o jornal apresentou o relato do sargento B. Miranda, do Quartel RI, Quitaúna, morador na Vila Campesina. "Fui em um jantar na Vila Sônia, na Francisco Morato, quando surgiu uma mulher elegante. Se apresentou como Madame Zorobabel e tinha um sorriso encantador. Enquanto fui buscar uma cadeira, ela desapareceu", afirmou.

As aparições de Zorobabel, a essa altura, já eram o assunto mais comentado na cidade de Osasco, seja nas indústrias, nos escritórios, seja nos meios sociais de Osasco.

Por fim, dona Daura, uma senhora crente, que tinha visto várias vezes, tentou resumir: "Zorobabel tem uma missão especial na Terra, nesta época de muita irresponsabilidade, de violências, crimes e orgias sexuais. Eu não tenho dúvidas que é uma mulher de outro planeta. É uma mulher diferente, difícil de explicar."

E você, já viu Zorobabel?

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias