Nerdices

Salva pela Amazon Prime Video, série 'The Expanse' anuncia estreia da quarta temporada

Projeto havia sido cancelado na terceira temporada, mas fãs foram contra

Cena da série "The Expanse"
Cena da série "The Expanse" - Divulgação
São Paulo

A série "The Expanse", que foi salva pela Amazon Prime Video, foi tema de um dos painéis da Comic Con nesta sexta-feira (6). A produção foi cancelada pelo canal SyFy na terceira temporada, mas os fãs ajudaram a mantê-la viva.

"A produção voltou por causa dos fãs. É tão bom sentir esse feedback e saber que seu trabalho tem importância para algumas pessoas. Voltamos para fazer a quarta temporada com um gás diferente", afirma a atriz Dominique Tipper, que interpreta a personagem Naomi.  

A produção é baseada na série de livros dos americanos Daniel Abraham e Ty Franck, que escrevem sob o pseudônimo James S. A. Corey. A história se passa em um futuro em que a humanidade colonizou o Sistema Solar e há habitantes na Lua, em Marte e também na Terra. "Uma guerra começa entre esses planetas que disputam uma tecnologia alienígena, e o desaparecimento de uma menininha está no centro de tudo isso", define o ator Frankie Adams (Bobbie).

As temporadas seguem exatamente a história contada na série de livros, que já tem oito romances e sete contos. "A série foi escrita em 2009, isso já faz dez anos. Por isso a história retrata o quanto a humanidade roda em círculos e comete sempre os mesmos erros", afirma Tipper. Apesar de se tratar de uma ficção científica ambientada no futuro, o elenco defende, ainda, que é fácil se identificar com os personagens.

"Tenho orgulho de uma série em que um cara comum pode ser um herói e, por isso, podemos criar fácil identificação do público. Não tive isso quando eu era criança", defende Adams. "O mais incrível é que não há um tipo de humano e um tipo de marciano ou uma única característica de quem mora no Cinturão. Há diversidade nesses povos e, por isso, foi criado um dialeto com diferentes entonações porque o Cinturão é um lugar grade demais para todos serem iguais", completa Steven Strait.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem