Comic Con

Fãs acampam por mais de 40 horas na CCXP para conferir novidades e ver artistas de perto

Com metros de extensão de tomada e colchões, jovens aproveitam para fazer amizade

 
Kennedy Júnior, Pedro Teixeira e Hugo de Paula são primeiros da fila do auditório Cinemark da CCXP 2019 para sábado (7) - Beatriz Vilanova/Folhapress
São Paulo

Estar na primeira fileira de um auditório para mais de 3.300 pessoas é um feito para poucos. É preciso muita persistência, preparo e paciência –além de algumas dezenas de horas de espera em uma fila.

Mas é esse o desafio que encaram Kennedy Júnior, 21, Pedro Teixeira, 29 e Hugo de Paula Gomes, 30, que chegaram 43 horas antes de os portões da Comic Con Experience em São Paulo de sábado se abrirem, às 11 horas. A feira acontece desde quinta-feira (5) e vai até domingo (8), mas é no primeiro dia de final de semana que ela recebe a maior parte das atrações mais aguardadas pelo público.

“A gente chegou na fila às 15h56 de quinta-feira”, diz Teixeira. “Temos credencial para os quatro dias, mas abrimos mão de hoje [sexta]. Na quinta-feira a gente até entra e curte os estandes, mas a gente quer ver mesmo é o painel no sábado, que geralmente é o melhor dia.” 

O motivo das horas de antecedência é para poder sentar na primeira fileira do auditório Cinemark XD, o principal da feira, que recebe a maioria das atrações internacionais. “Ano passado conseguimos ficar na primeira fileira também. É muito gratificante, aparecemos em várias fotos de divulgação. A gente vê tudo de pertinho, vivemos mesmo o evento”, diz Kennedy. “Os atores escutam as nossas reações, apontam para a gente. Ano passado eu estava vestido de Homem-Aranha, e a Sandra Bullock apontou para mim e disse para os amigos: 'Olha, o Homem-Aranha.”

A fila, que já conta com mais de 20 pessoas e foi iniciada pelo trio, é exclusivamente para o auditório e está sendo formada no estacionamento do evento.

“Apesar de parecer uma tortura sem fim ficar na fila, é justamente este o lugar onde a gente mais conhece gente, se diverte, rola brincadeira... É leve”, diz Kennedy. A amizade dele com Teixeira e Gomes nasceu na espera da fila de uma CCXP, em 2017, apesar de cada um ser de um estado (ele de Brasília, Teixeira de São Paulo e Gomes de Minas Gerais). “É igual família, a gente se vê uma vez por ano no Natal”, brinca Gomes.

Para passar o tempo, o trio conversa, joga, vê vídeos e leva colchão e computador –acompanhado de uma extensão de tomada de 35 metros, adaptadores e carregadores portáteis. Para ir ao banheiro ou comer, eles se revezam e entram na feira. E quando finalmente chega a hora de abrirem os portões, eles contam, há muita organização. “Aqui todo mundo sabe quem está na frente da fila, quem está atrás de quem. A gente vai organizadinho”, divertem-se.

A intenção deste ano é acompanhar, principalmente, os painéis com o elenco dos filmes de “Star Wars” e o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige –Gomes gostaria de agradecê-lo pela viagem a Londres para ver a premiére de “Pantera Negra”, presente que ganhou de Feige em 2017 por ser o primeiro da fila também. A ideia é passar o sábado inteiro dentro do auditório.

E engana-se quem pensa que a atitude é “loucura” ou que incomoda o trio. “O melhor do evento é isso. Conhecer na fila pessoas que têm os mesmos gostos que você”, conclui Kennedy.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem