Nerdices

Final de torneio de 'League of Legends' terá prêmio de mais de US$ 1 milhão

A Coreia do Sul venceu cinco dos seis últimos campeonatos

Troféu da final do campeonato mundial de "League of Legends" em Paris
Troféu da final do campeonato mundial de "League of Legends" em Paris - Johanna Geron-8.nov.2019/Reuters
Mathieu Rosemain Noemie Olive
Paris

A final do campeonato mundial de "League of Legends" no domingo (10) vai entregar prêmios de mais de US$ 1 milhão (R$ 4,1 milhões) e será disputada pelas equipes G2 Esports, da Europa, e FunPlus Phoenix (FPX), da China.

O videogame foi desenvolvido há dez anos pela norte-americana Riot Games e envolve um combate no qual o principal objetivo é destruir a base do time rival. A final será transmitida pelo serviço de streaming Twitch.

A Riot afirma que o campeonato do ano passado atraiu quase 100 milhões de expectadores, colocando o evento no mesmo patamar do Super Bowl, maior evento da televisão dos Estados Unidos. Os patrocinadores do torneio incluem a marca de luxo Louis Vuitton, Mastercard e a companhia chinesa de produtos eletrônicos Oppo.

 
 

As receitas globais com os chamados esports devem atingir US$ 1,1 bilhão (R$ 4,5 bilhões) neste ano, um crescimento de 27% sobre 2018, somando faturamento com venda de publicidade, patrocínios e direitos de mídia, segundo a companhia de análise de mercado Newzoo.

"League of Legends", "Dota 2", "Fortnite" e "Counter-Strike: Global Offensive" são os esports mais populares da atualidade. O torneio "LoL Worlds" deste ano ofereceu uma premiação total de US$ 6,5 milhões (R$ 26,9 milhões), tornando a competição a terceira maior, atrás das disputas "The International" (de "Dota 2") e Copa do Mundo de "Fortnite".

A equipe vencedora do "Lol Worlds" vai levar para casa quase US$ 835 mil (R$ ) e a segunda colocada ficará com US$ 300 mil (R$ 3,5 milhões). O time europeu quer encerrar a supremacia asiática na disputa –a Coreia do Sul venceu cinco dos seis últimos campeonatos. A China venceu no ano passado.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem