Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Música

Maiara e Maraisa querem manter projeto Patroas para honrar Marília Mendonça

Dupla encontra força nos fãs para 'cumprir o combinado' com a amiga

Marília Mendonça durante lançamento da turnê (As Patroas) no Alianz parque - Leo Franco 5.out.2021/AgNews
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

As sertanejas Maiara e Maraisa ainda estão muito abalada pela morte precoce de Marília Mendonça, grande amiga e parceira musical da dupla. Apesar disso, elas revelaram em entrevista à revista Quem, nesta quinta-feira, (9) que pretendem dar continuidade ao projeto que iniciaram com a rainha da sofrência em 2021.

Sobre o As Patroas, parceria musical lançada pelo trio pouco antes do acidente aéreo que tirou a vida de Marília em 5 de novembro, Maraisa diz que o desejo é continuar. "Claro que agora envolve muitas questões que precisam ser avaliadas e não podemos responder sozinhas por isso", dizem. "No que depender de Maiara e Maraisa, essa turnê vai acontecer. Tudo que combinamos com ela em vida, nós vamos cumprir".

A cantora relata que, para Marília, ela estava "na melhor fase da vida", e o trio já estava trabalhando no As Patroas 2. "Não vamos deixar de falar de Patroas desse projeto tão lindo que ela cuidou com tanto amor e carinho", garantiu Maraisa. "Nós vamos fazer a melhor entrega das nossas vidas, como ela sempre sonhou."

Sobre o luto, a dupla foi sincera. Maraisa revelou que pensou em pausar a carreira por um momento. "Eu fico o tempo todo pensando se tiramos um tempo para nós. Mas acho que se fizermos isso, nós vamos ficar mal mesmo", ponderou. "As minhas malas só têm look de show e pijama. Quando não estou no palco, estou dormindo ou chorando. Estou cansada, exausta emocionalmente."

Pensar no que a amiga gostaria de vê-la fazendo neste momento foi outro empurrão para continuar com os compromissos profissionais. "Eu comecei a inverter as coisas e pensar se fosse ela que estivesse fazendo por mim. Eu ia ficar muito decepcionada se ela ficasse só dentro de um quarto, sem fazer nada e deixasse pessoas que não conhecem nada sobre mim ficarem falando sobre a minha memória", explicou.

Maiara contou que, além da fé, os fãs são um ponto de força em meio ao sofrimento. "Nossa força vem primeiramente de Deus, que a nossa fé é algo inabalável. Também vem do nosso público, que nos manda muita energia positiva", disse a cantora. " Aonde eu passo, eles falam: 'Força, força'. Quando entro no palco, vejo muita gente projetando essa força e eu acabo devolvendo, porque é uma troca de energia muito grande no show."

"Você pensa em parar tudo, mas eu vi que as pessoas esperam que a gente honre ela até o fim. E ela fez tudo para gente honrá-la até o fim", contou Maraisa, que lembrou da fase ativa na qual estava Marília antes de sua morte.

Para o futuro, honrar o forte laço que construíram com Marília e o legado musical deixado pela colega de profissão é meta para as gêmeas. "Ela escolheu a gente e nós escolhemos ela. E a nossa relação estava, cada vez mais, intensa e estreita", relatou Maiara.

No último domingo (5), as irmãs estiveram no Fantástico (Globo) para marcar o aniversário de um mês da morte da cantora. Elas acompanharam o irmão de Marília, Gustavo, que apresentou sua dupla sertaneja com Dom Vittor.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem