Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Música

Sérgio Reis desiste de álbum após artistas cancelarem participações

Filho do músico diz que 'o disco não existe mais'

Sérgio Reis interpreta peão violeiro Diogo na novela Paraíso (2009)
O cantor Sérgio Reis - Renato Rocha Miranda/TVGlobo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Depois de tanta polêmica e de cancelamentos em massa, o disco de parcerias de Sérgio Reis, 81, não vai mais ser lançado. A informação foi confirmada por Marco Bavini, filho dele e produtor do álbum.

“Ninguém mais que eu lamenta por isso. Eu vinha gravando e construindo esse projeto há quase cinco anos de gravações. Infelizmente foi assim. O disco não existe mais”, disse ele ao G1. Procurado, Bavini ainda não havia respondido as solicitações.

Nomes como de Anastácia, Zé Ramalho, Maria Rita, Guilherme Arantes e Gutemberg Guarabyra (da dupla Sá e Guarabyra) já haviam anunciado que não fariam mais parte do projeto.

Apenas Paula Fernandes, 36, afirmou nesta segunda-feira (23) que continuaria emprestando sua voz para o próximo álbum de Reis. Por meio de sua assessoria de imprensa, a cantora mineira disse que Reis participou de um álbum dela no começo da carreira e que tem "enorme gratidão", além de muito respeito pela carreira dele. "A decisão é absolutamente artística".

Sérgio Reis causou polêmica após o vazamento de um áudio no qual afirma que caminhoneiros parariam o país em setembro até que o Senado afastasse os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de seus cargos. Na sexta-feira (20), a Polícia Federal chegou a fazer uma ação de busca e apreensão na casa dele.

Reis dizia em conversa com um amigo que “se em 30 dias não tirarem os caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa está séria”. Ele também relatou uma reunião que teve com o próprio presidente Jair Bolsonaro e com militares “do Exército, da Marinha e da Aeronáutica”, em que informou o que faria.

"Eu errei, quero pedir desculpas, até ao Supremo", disse o cantor em entrevista a Roberto Cabrini no Domingo Espetacular (Record). "Eu sou uma pessoa que só pensa bem dos outros. E agora estão querendo acabar comigo como se eu fosse bandido. Eu não sou bandido."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem