Games

Just Dance Tour chega a etapas finais no Brasil  

Imagem do jogo Just Dance 2017
Imagem do jogo Just Dance 2017


Neste ano, pela primeira vez, o Brasil também foi palco da seletiva para a Copa do Mundo de Just Dance, conhecida como Just Dance Tour.

Após selecionar competidores em eventos em cinco cidades Brasileiras, chegou em São Paulo para escolher, durante a BGS (Brasil Game Show), competição que aconteceu na capital paulista de 12 de a 15 de outubro, mais um finalista das etapas regionais. 

Tiago Silva de Oliveira, 20, e Julio César da Costa Gato, 21, foram os vencedores regionais e representarão São Paulo na próxima etapa da competição, que acontecerá em dezembro.

Todos os selecionados por região dançarão em busca do título de finalista brasileiro. Posteriormente, um deles representará o Brasil na final mundial na França, em fevereiro de 2018.

Tiago Silva de Oliveira, 20, e Julio César da Costa Gato, 21, foram os vencedores regionais e representarão São Paulo na próxima etapa da competição, que acontecerá em dezembro.
Tiago Silva de Oliveira, 20, e Julio César da Costa Gato, 21, foram os vencedores regionais e representarão São Paulo na próxima etapa da competição, que acontecerá em dezembro. - Divulgação

O bi-campeão mundial de Just Dance Diego Sam conta que se subestimou na primeira vez que concorreu, em 2014 —ele parou de competir em 2016 e hoje atua como porta-voz do evento no Brasil. "Quando eu soube que teria o primeiro torneio mundial on-line, que eu poderia participar da minha casa, eu falei: 'Mãe, será que eu consigo?', e ela respondeu: 'Filho, você sempre ganha de todos os seus amigos, tenta!'"


E o amor pelo jogo foi longe. Para poder jogar todas as etapas, Diego abriu mão, inclusive, do emprego: "Na época, eu estava trabalhando e fiz uma loucura. Larguei o meu emprego e falei: Agora eu vou ganhar. Só para poder mostrar para os meus amigos que eu conseguia vencer."

Ao "F5", o CEO da BGS, Marcelo Tavares, diz que a competição atrai diferentes tipos de jogadores para a feira. "É um jogo que alcança o público feminino, o público família, de modo geral, e crianças."

Bruna Soares, gerente sênior de eventos e parcerias da produtora do Just Dance, a Ubisoft, explica que o jogo tem um propósito diferente de muitos outros. "O just dance une as pessoas, e não é só pra quem é gamer. O grande trunfo é essa questão de pessoas que não tem contato com jogos que, quando pensam em videogame, vem a mente o Just Dance."

BRASIL DO JUST DANCE

Para Soares, "o Brasil é o país do Just Dance". Os números, de fato, são grandiosos: há mais de 10 milhões de jogadores brasileiros. Em números de vendas de jogos para console, o Brasil só fica atrás dos EUA.

O diretor da Ubisoft na América Latina, Bertrand Chaverot, acredita que essa preferência seja também uma questão cultural. "No Brasil as pessoas não têm problema para dançar com os avós, a tia, o tio. Os fãs jogam em muitos aniversários, muitas festas."

Sam, que dançou na final mundial na França duas vezes, diz que, de fato, os brasileiros têm uma vantagem quase genética. "Eu vi todas as outras culturas dançando, outros participantes. A gente parece que tem mais gingado na dança."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem
[an error occurred while processing this directive]