Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Estilo
Descrição de chapéu The New York Times casamento

Noivas dizem adeus ao vestido branco liso e apostam nas cores ao casar

Tendência mostra busca por cerimônias mais pessoais e que se destaquem

Vestido de casamento colorido por Pixabay João Co

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Erramos: esse conteúdo foi alterado
Danielle Braff
The New York Times

Elizabeth Arasevi, 36, não tinha a intenção de seguir os costumes ao escolher seu vestido de casamento. "Qualquer noiva quer se sentir a mais bonita que puder no seu dia, e me enfiar em um vestido branco como o açúcar em nome da tradição não era bom o bastante para mim", disse a auditora Arasevi, que vive em Bloomington, Minnesota.

Ela acrescentou que não estava interessada em ser vista como "uma noiva pura e virginal à espera do matrimônio", e em lugar disso optou por um vestido feito sob medida, vermelho com detalhes em renda preta, para seu casamento com o acupunturista Michael Arasevi, 32, em uma cerimônia realizada em Pepin, Wisconsin.

Ela se surpreendeu com o sucesso do vestido, afirmando que os convidados lhe disseram que tanto o vestido quanto a festa eram "a cara dela", e muito bonitos.

Depois que a rainha Vitória, da Inglaterra, usou um vestido branco de cetim em sua cerimônia de casamento com o príncipe Albert, em 1840, a cor se tornou sinônimo de vestido de casamento, apesar de até ali a tradição ser a de vestidos coloridos. Mas Elizabeth Arasevi faz parte do crescente grupo de noivas contemporâneas e de estilistas de moda para casamentos que, 182 anos mais tarde, começam a abraçar vestidos mais coloridos.

Um estudo publicado em novembro pela revista Brides e o site Investopedia, que envolveu entrevistas com mil pessoas que planejavam se casar nos dois anos seguintes, constatou que 28% dos participantes desejavam deixar de lado o vestido branco e os ternos clássicos, em troca de alternativas atípicas.

Outro estudo, publicado em dezembro pelo site de artesanato Etsy, que examinou dados recolhidos no site entre setembro e novembro daquele ano e no mesmo período de três meses em 2020, constatou que as buscas por itens coloridos para casamentos, incluindo vestidos, ternos, véus e decorações de mesa, tinham crescido em 223% entre 2020 e 2021.

"A nova geração de noivas se preocupa muito com a visibilidade online de seus casamentos", disse Anastasia Stevenson, estilista e planejadora de casamentos, que divide seu tempo entre Los Angeles e Savannah, na Geórgia. "Elas precisam fazer algo de diferente se desejam se diferenciar das centenas de milhares de outras postagens" de noivas no TikTok e Instagram.

E além disso, agora que a coabitação se tornou mais comum que o casamento, de acordo com o Pew Research Center, a ideia de um casamento com vestido branco que simbolize pureza é um conceito antiquado, disse Lynzie Kent, planejadora de casamentos e fundadora da The Pop-Up Chapel Co., em Toronto.

Ainda assim, a maioria das noivas hesita em fazer o salto do branco para tons ousados de amarelo, vermelho ou seja lá qual for a cor, de acordo com Heather McReynolds, vice-presidente de moda e vestidos de noiva da loja especializada em produtos para noivas David’s Bridal, onde um quarto das clientes vêm escolhendo vestidos de casamento em tom champanhe ou outra cor neutra mas não branca, como rosa, rosa pálido, malva ou castanho claro, disse McReynolds.

O rosa vem sendo a cor não tradicional mais popular para os vestidos de noiva na David’s Bridal, ela acrescentou, mas nos últimos 18 meses a gama se expandiu para incluir vestidos de casamento pretos, vermelhos e azuis. Os vestidos coloridos agora respondem por cerca de 10% da coleção da marca, um aumento de 30% em relação ao ano passado.

"O preto, especialmente, vem ressoando de verdade junto às noivas que buscam um look chique e dramático para seus casamentos", disse McReynolds.

Amber Lee, 41, tinha originalmente comprado um vestido branco para seu casamento com Michael Lee, 45, palestrante e "coach" de relacionamentos, que aconteceu em 30 de dezembro de 2021 no El San Juan Hotel, em Porto Rico. Mas Lee, que já tinha sido casada e usou um vestido cor de marfim na primeira cerimônia, não gosta de sua aparência quando usa tons de branco.

"Quando vi um vestido preto, me apaixonei por ele", disse Lee, que é presidente-executiva da Select Date Society, um serviço de encontros em Richmond, Virgínia. Ainda que vestidos não brancos possam ser uma escolha mais comum para as noivas que estão se casando pela segunda vez, usar preto tinha menos a ver com aquele ser seu segundo casamento do que com escolher o que lhe parecia certo, disse Lee.

Ela bateu o martelo e comprou o vestido desenhado por Rachael Allan, para desgosto de sua mãe e futura sogra, ambas as quais consideravam a cor como inapropriada. "Mas quando me viram no dia do casamento, as duas adoraram o vestido", disse Lee.

Lazaro Perez, estilista chefe da Lazaro Bridal e da coleção Tara Keely, disse que gosta de procurar pelo tom não branco perfeito usando camadas de cores diferentes. Extraindo inspiração de obras de arte como os retratos de bailarinas de Degas, ele criou vestidos que incorporam tons de rosa pálido, pêssego e marfim, com detalhes prateados e dourados.

Sarah Holway, 25, se inspirou nos contos de fadas e histórias de fantasia quanto estava à procura de um vestido para seu casamento, realizado em setembro de 2021. Mas nenhuma das lojas que ela visitou tinha modelos que satisfizessem a sua visão. Ainda que não tivesse descartado de todo a possibilidade de um vestido branco, ela disse que estava à procura de algo único.

"Eu queria algo de diferente para meu vestido", disse a dona de casa Holway, que se casou com Braydon Badger, 27, empregado de um café.

O vestido rosa pálido que ela usou em seu casamento, em Edmonton, Canadá, tinha detalhes e flores em tom rosa mais vivo, e foi feito sob medida por sua mãe para se encaixar à cor dominante da decoração de casamento escolhida pelo casal, um verde-escuro. Embora alguns dos convidados tenham se surpreendido ao ver uma noiva que não estava de branco, Holway disse que muitos lhe disseram que o vestido era "memorável" e "a sua cara".

Andrew Kwon, estilista nova-iorquino que criou modelos rosa e verde para sua coleção de vestidos de noiva, disse que um dos benefícios de usar um vestido colorido é que ele pode ser reaproveitado com facilidade depois do casamento.

"Sei que algumas das noivas que vesti pensaram em como poderiam incorporar os vestidos a ocasiões de gala ou eventos de que participariam", disse Kwon. Ao escolher um vestido mais ousado, disse Justina McCaffrey, fundadora da grife homônima de vestidos de noiva em Ottawa, Canadá, as noivas precisam tomar cuidado para não exagerar no uso de cores em seus casamentos.

"Minha recomendação é ter tudo no mesmo tom, mas não exatamente da mesma cor", disse McCaffrey. "Se a cor for lavanda, eu selecionaria um lavanda leve para o vestido e um matiz um pouco mais escuro para as madrinhas". O lavanda também deve ser usado no bolo de casamento, para as cores das flores e em outros pequenos detalhes, ela recomendou.

Encontrar um vestido de casamento (ou o parceiro certo para um casamento) pode exigir muitas rejeições; o mesmo vale para a escolha das cores.

Shelby Henry, 25, se apaixonou por um vestido Berta Balilti em cor "nude", adornado com padrões florais em 3D e pérolas que fluíam pela cauda. Inicialmente preocupada por o modelo fugir demais à tradição, Henry, vice-presidente de operações do The Sixpence, um espaço para eventos em Whitestown, Indiana, experimentou quase 50 outros vestidos antes de retornar ao seu favorito inicial.

"Por fim, decidi escolher aquele vestido porque senti que ele era exatamente o que eu queria: algo de muito único", disse Henry em um email, acrescentando que, ao ver o modelo, "ele não me pareceu imediatamente um vestido de casamento"

Traduzido originalmente do inglês por Paulo Migliacci

ERRAMOS: O conteúdo desta página foi alterado para refletir o abaixo

O texto do New York Times reproduzido pela Folha identificou erroneamente o artista conhecido por pintar bailarinas como Monet, mas é Degas. O texto foi corrigido. 

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem