Diversão

Tema da novela 'Verão 90', os anos 1990 ainda inspiram moda, música e até comportamentos

Próximo folhetim das sete trará Claudia Raia de protagonista

Vanderlei Schiavolin guarda os videogames que teve nos anos 1990
Vanderlei Schiavolin guarda os videogames que teve nos anos 1990 - Rivaldo Gomes/Folhapress

Leandro Vieira
São Paulo

Chegou a vez da década de 1990 mostrar o seu valor. O período vai dar o clima da próxima novela das sete da Globo, “Verão 90”. 

Mas a trama só acompanha uma tendência que já se observa em outros segmentos. Na moda, o neon, as calças de modelagem ampla e as pochetes, que fizeram sucesso na época, ganham nova leitura e estão em alta.

Na música, as Spice Girls retomam o grupo e vão fazer turnê no ano que vem. Até mesmo videogames que ficaram na memória afetiva de quem era criança nos anos 1990 estão sendo relançados. É o caso do Mega Drive, que terá uma versão mini comercializada em 2019.

A atriz Claudia Raia, 51, que será protagonista em “Verão 90”, conta que foi no período que ela se consolidou como atriz. “E foi uma década muito frutífera para a música, para a arte, para a cultura em si, com uma liberdade para experimentar”, afirma.

Outro ator da novela, Caio Paduan, 31, incorporou ao seu gosto musical as bandas dessa época. “Gosto bastante de Pearl Jam, Nirvana, Sublime, Planet Hemp, Charlie Brown Jr. e outros grupos desse período.” A moda dos anos 1990 também o inspira. “Ca­misa de flanela, boné e o tênis All Star sempre farão parte do meu guarda roupa.”

Autor do livro “Almanaque Anos 90”, o jornalista Silvio Essinger destaca que o brasileiro teve muito mais acesso a produtos importados a partir dessa década, o que resultou em mudanças de comportamento. “É surpreendente a quantidade de produtos que se comprou no Brasil depois que as importações ficaram mais acessíveis”, explica.

O DJ Vanderlei Schiavolin, 47, guarda até hoje os videogames que adquiriu na época: Super Nintendo e Mega Drive. Ele lembra que as locadoras tiveram papel fundamental na popularização dos aparelhos. “Quando você conseguia terminar um jogo, devolvia e podia pegar outro.”

MTV PRÓPRIA E GRUPO INFANTIL

“Verão 90”, próxima novela das sete da Globo e programada para estrear em janeiro de 2019, será ambientada nos anos 1990 e, por isso, toda a caracterização dos personagens e cenários terá o clima da década. A trama começa em torno do grupo musical infantil Patotinha Mágica. 

Mas os integrantes —João, Manuzita e Jerônimo— se separam e voltam a se encontrar apenas após alguns anos, já adultos. Na primeira fase, os cantores serão interpretados por João Bravo, Melissa Nóbrega e Diogo Caruso. Já na segunda parte, eles ganharão vida com Rafael Vitti, Isabelle Drummond e Jesuíta Barbosa.

“Verão 90” também vai contar a vida das famílias dos artistas. Lidiane (Claudia Raia) é mãe de Manuzita, e Janaína (Dira Paes) é mãe dos irmãos Jerônimo e João.

“A Lidiane é uma personagem muito divertida. Ela era atriz na época da pornochanchada, teve uma carreira de muito sucesso e parou o trabalho porque engravidou”, conta Claudia.

A televisão dos anos 1990 também terá destaque com a PopTv, emissora criada para a novela e inspirada na MTV, grande sucesso dos anos 1990.

Um dos donos é Quinzinho, papel vivido pelo ator Caio Paduan. “Ele abre a PopTv, com seus melhores amigos e com a ajuda dos pais. A emissora vai apresentar uma novidade para o país: clipes das músicas.” Já sobre o seu personagem, ele afirma que Quinzinho é imaturo e sem limites. “Mas é divertido”, afirma.

A novela é escrita por Izabel de Oliveira e Paula Amaral, e terá direção artística de Jorge Fernando.

CANAL 90

Quem deseja conhecer fatos interessantes dos anos 1990 ou relembrar o que viveu nessa época pode encontrar uma boa op­ção com o Canal 90. Hospedado no site de vídeos YouTube, o canal é separado por temas, como programas de TV, personalidades, doces famosos e situações constrangedoras.

“Faço bastante pesquisa, claro, mas muito do que aparece nos vídeos é baseado no que eu vivi”, conta Danilo Nogy, 29, apresentador e roteirista. O canal foi criado em 2012 e, a princípio, abordava apenas videogames, um dos maiores gostos de Nogy. “Mas percebi que isso iria limitar bastante o conteúdo. Além disso, gosto de outros aspectos culturais dos anos 1990, como música e televisão. Resolvi incluir diferentes pontos e deu certo”, diz.

O canal tem mais de 1 milhão de inscritos. Dentre as pesquisas que fez, Nogy se surpreendeu com a moda da década de 1990. “Fiz dois vídeos e eles não foram suficientes para falar de tudo o que foi usado nessa época”, afirma.

O apresentador também co­leciona objetos desse período. Ele tem videogames como Me­ga Drive e Super Nintendo (os originais, não as versões lançadas posteriormente), embalagens de comida, walkman, Tamagoshi (um jogo em que a pessoa criava um bicho virtual) e as facas Guinsu (vendidas pela televisão e que prometiam cortar qualquer coisa).

Nogy resolveu colocar o fruto das pesquisas e de suas vivências em livro. Lançado pela editora Planeta, “Como Eu Sobrevivi aos Anos 90 - Histórias Reais de uma Década Surreal” (R$ 42, 240 págs.) segue a linha do canal e mostra curiosidades da época. “Meu tio Gustavo, que é escritor, me deu a ideia. Eu só não queria fazer um almanaque tradicional. Simplesmente reuni fragmentos da minha memória, organizei por assuntos e sempre de forma humorada”, conta Nogy.

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem