Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Tony Goes

Meu dia de jurado na bancada do Troféu Imprensa

Finalmente tive a chance de conhecer Silvio Santos em pessoa

Tony Goes como jurado do Troféu Imprensa 2022 - Lourival Ribeiro jun.2022/SBT
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Trabalhei três vezes no SBT, como roteirista. Em 1996, fiz parte da equipe do programa "Gente que Brilha", apresentado por Blota Junior, que contava a vida de celebridades. Dois anos depois, participei do primeiro Teleton. Finalmente, em 2000, escrevi vários episódios da sitcom "Ô... Coitado!", estrelada por Gorete Milagres, e ainda cobri férias no "Programa Livre".

Somando tudo, passei quase dois anos nas instalações da emissora. Conheci muita gente, aprendi bastante, passei por muitos apuros e momentos divertidos. Mas uma figura insistia em se manter invisível: o próprio Silvio Santos. Nunca tive o menor contato com o "patrão". Não cruzei com ele nos corredores, não o vi de longe no estacionamento, absolutamente nada.

Esse curioso jejum terminou na semana passada, quando fui jurado da 58ª edição do Troféu Imprensa. O simples fato de eu ter sido convidado para este júri já configura um reconhecimento e tanto: um sinal de que entrei para a primeira divisão dos comentaristas brasileiros de TV e entretenimento. Um time do qual minha colega Cristina Padiglione, que também escreve na Folha, já faz parte há muitos anos.

Também foi uma demonstração de generosidade do SBT, pois eu já fiz muitas críticas à emissora aqui nesta minha coluna no F5. Mas, acima de tudo, foi minha chance de encontrar, cumprimentar, conversar e tirar selfies com Silvio Santos, o maior nome da televisão brasileira de todos os tempos.

Pouco antes das nove da manhã, um carro do SBT veio me buscar em minha casa. Chegando ao Complexo Anhanguera, minha primeira escala foi numa tenda para fazer um teste rápido de Covid-19. Caso desse positivo, não haveria conversa: eu seria despachado de volta, sem a menor cerimônia.

"Passei" no teste, e fui levado para uma sala de maquiagem. Estou fazendo um tratamento médico que faz aflorar manchas vermelhas no meu rosto, e elas estavam particularmente visíveis naquele dia. Mas a maquiadora Bárbara fez milagre: primeiro me aplicou um corretivo verde que me deixou parecido com o Hulk, depois base e pó, e eu fiquei com uma aparência razoável.

De lá, me levaram a um camarim onde também estavam outros jurados. Alguns eu já conhecia, como Flávio Ricco e Keila Jimenez, do R7, Fefito, do UOL, Leão Lobo, da TV Gazeta, e a própria Padi, da Folha.

De repente, a porta se abriu e alguém entrou, se posicionando bem ao meu lado. Era ele: Silvio Santos, em carne e osso, e um pouco mais baixo do que eu imaginava. Corri para me apresentar, e ele foi muito simpático. Depois, falou com cada um dos jurados e nos passou instruções: sejam breves, não enrolem, digam claramente em quem vocês estão votando.

Antes de irmos para o estúdio, um jurado me alertou: vá ao banheiro antes. Quando o Silvio começa a gravar, ele não para mais. O cara fica em pé no palco por três ou quatro horas seguidas, sem interrupções, e todo mundo tem que seguir o ritmo dele.

Sábio conselho. Foi impressionante observar SS em ação. Aos 91 anos de idade (92 em dezembro), ele anda sem precisar de nenhum apoio, fala com todo mundo e sabe tudo o que se passa no estúdio. Sua concentração é admirável; sua desenvoltura em frente às câmeras, ainda mais. Um animal em seu habitat natural. Um homem fazendo o que mais gosta de fazer na vida.

Como éramos 11 jurados e as categorias são 14, nem todos votaram em todas. A cada rodada, Silvio chamava cinco ou seis de nós para definir quem levaria o Troféu Imprensa. Na maioria das vezes, o escolhido coincidiu com o favorito do público do site da emissora, que leva o Troféu Internet.

Mas esta votação online ainda não é suficiente para trazer a mais tradicional premiação da televisão brasileira para o século 21. O Troféu Imprensa contempla apenas a TV aberta, ignorando os canais pagos e as plataformas de streaming. Cadê o prêmio para a melhor série, ou para o melhor reality show?

Depois da gravação, os jurados ainda participamos de um almoço numa sala reservada do restaurante VIP da emissora. Silvio, infelizmente, não deu as caras. Antes de partir, ainda ganhamos brindes da Jequiti.

De qualquer forma, foi um dia inesquecível. O resultado vai ao ar nesta quarta-feira (15), às 21h30, no SBT. A exibição chegou a ser anunciada para o sábado (11), só para ser adiada na véspera. Coisas do Silvio...

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem