Tony Goes

A Fazenda 12 e The Voice Brasil acabam em clima de gala, mas há muito o que corrigir em 2021

Depois de boas temporadas, finais tiveram muitas lágrimas e muita enrolação

Jojo Todynho
Jojo Todynho - Marcos Rocha/Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Fazia tempo que o espectador brasileiro não assistia a um embate desse tamanho. Certamente não foi neste ano, pródigo em reprises e pobre em conteúdo inédito. Mas quiseram os deuses, os executivos e o calendário que a 12ª temporada de A Fazenda (Record) e a 9ª de The Voice Brasil (Globo) terminassem na mesmíssima noite, a de 17 de dezembro de 2020.

As duas emissoras de maior audiência do país se enfrentaram com suas versões de dois formatos consagrados no mundo inteiro. Quem venceu o duelo? No momento em que escrevo este texto ainda não saíram os números oficiais do Ibope, mas tudo indica que foi mesmo A Fazenda 12.

O reality de confinamento teve nesta edição o seu maior faturamento comercial e a sua terceira maior audiência da história. Um elenco bem escolhido, uma produção mais caprichada que das outras vezes e o inextinguível entusiasmo do apresentador Marcos Mion caíram feito maná do céu sobre um público carente de entretenimento.

Já The Voice Brasil teve mais uma boa safra, mas sem a repercussão ou o engajamento de outros anos. A Globo não mexeu no time que estava ganhando, e o programa acabou se ressentindo de novidades. O quarteto de jurados é mais que competente, é adorável; Tiago Leifert acertou o tom faz tempo; os candidatos não fizeram feio. Ou seja, mais do mesmo.

A Fazenda 12 chegou à sua última noite com pompa, circunstância e blocos curtíssimos. Breaks comerciais irrompiam a todo instante. Todos os eliminados voltaram à sede em Itapecerica (Grande SP), mas o assunto acabou já faz alguns dias. O derradeiro episódio foi um festival de flashbacks, ações de merchandising e, claro, muita encheção de linguiça. A maior diversão foi ver Stéfani Bays e Lipe Ribeiro se contorcendo de nervosos, como se ainda tivessem alguma chance. Tolinhos.

Tampouco faltou enrolação à final do The Voice. Pudera: com apenas quatro finalistas, não dá para exigir muita coisa. E tome show de Iza, de Lulu Santos, de Michel Teló, de Carlinhos Brown. Além, evidentemente, de breves retrospectivas das trajetórias de Izzra, Ana Canhoto, Douglas Ramalho e Victor Alves. Neste ano, a Globo até que tentou explorar mais a fundo a vida pessoal de cada um dos calouros, mas esbarrou num fato incontornável: nenhum deles é tão interessante quanto as subcelebridades de A Fazenda.

Quais são os aprendizados para 2021? A Record precisa reforçar a segurança no entorno da sede. Também deveria repensar as provas, com menos ênfase em condicionamento físico. Menos força bruta e mais esperteza cairiam muito bem (e essa dica vale também para o próximo BBB). Além disso, o pay-per-view no PlayPlus tem que valer o que custa. Sem falar no Carioca, que perdeu a pouca graça tinha no cercadinho do Alvorada.

Se os pontos fracos de A Fazenda são nítidos, é mais difícil apontar o que pode ser melhorado no reality The Voice. O programa é uma máquina bem azeitada desde a estreia em 2012, mas a fórmula dá evidentes sinais de cansaço. Talvez seja a hora de trocar mais um jurado? Afinar as regras? Aprofundar ainda mais o lado humano, e deixar a música um pouco de lado?

No frigir dos ovos, Jojo Todynho foi a previsível campeã de A Fazenda 12, com 52,54% das preferências do público. Já Victor Alves sagrou-se vencedor no Voice Brasil, desbancando o favorito Douglas Ramalho. Agora ambos têm uma difícil tarefa pela frente: manter a popularidade conquistada, algo em que muitos de seus antecessores no pódio falharam.

Mas, nesta noite de quinta, quem ganhou mesmo foi o espectador brasileiro, que pôde zapear entre duas produções luxuosas e torcer por seus favoritos. Quando será que teremos um embate desses outra vez?

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem