Tony Goes

Lista de participantes do BBB 20 é ousada e variada, mas conseguirá salvar o programa?

Pela primeira vez, concorrentes se dividem entre anônimos e (semi) famosos

Tiago Leifert no Big Fone do BBB 19

Tiago Leifert no Big Fone do BBB 19 Divulgação TV Globo

São Paulo

Os 18 candidatos anunciados neste sábado (18) que participarão da 20ª edição do Big Brother Brasil compõem a escalação mais ousada do programa em todos os tempos.

Pela primeira vez, os concorrentes foram divididos em dois grupos: “Pipoca”, formado à moda antiga, por anônimos que se inscreveram e passaram por um rigoroso processo de seleção; e “Camarote”, só com nomes que já alcançaram notoriedade em suas áreas de atuação, convidados diretamente pela produção.

Os primeiros são mais do mesmo. Todos têm aquele perfil habitual do reality: jovens extrovertidos e de ótima aparência, vindos de variados rincões do país. Alguns são mais sarados, outros nem tanto, mas nenhum parece se desviar muito da curva.

A segunda turma é mais heterogênea e, por isto mesmo, mais interessante. Muito se especulou sobre quais famosos topariam pausar suas carreiras de sucesso para se confinarem por três meses na “casa mais vigiada do Brasil”. Chegou a ser noticiado que Felipe Neto e Carlinhos Maia, dois dos maiores fenômenos da internet brasileira, teriam recusado o convite.

O fato é que a lista final não apresenta nenhuma grande surpresa. Nomes como os da cantora Manu Gavassi ou da influenciadora digital Bianca Andrade, a “Boca Rosa”, já estavam em circulação nas redes digitais. Na minha opinião, dois são particularmente bem-vindos: o ator Babu Santana, que já interpretou Tim Maia no cinema, e o hipnólogo e videomaker Pyong Lee.

Só que nenhum deles é extremamente conhecido. Três milhões de seguidores no Instagram parece muito, mas os números da web costumam se espatifar quando contrastados com os da TV aberta. Duvido que sua mãe saiba quem é qualquer um deles.

Além do mais, tentativas anteriores de turbinar a audiência de realities com a presença de vlogueiros não foram particularmente bem-sucedidas. Taí a edição de “O Aprendiz” de 2019, que amargou índices baixíssimos no Ibope apesar do elenco formado inteiramente por estrelas do mundo virtual. Para a versão deste ano, o programa voltará ao formato original.

No exterior, o Big Brother costuma realizar edições com celebridades quando sente que sua carreira está entrando na reta final. As quase duas décadas em que o programa está no ar no Brasil são uma gloriosa exceção, mas os sinais do inevitável desgaste vêm se acumulando ano após ano.

O BBB 19, que tentou reproduzir dentro da casa o clima de polarização política vigente no planeta, foi o pior de todos – tanto na audiência como na qualidade, que decepcionou até os fãs mais ardorosos.

O BBB 20 vai reverter esta tendência? Claro que é cedo para dizer. Depende das novas regras, que prometem mais agilidade. E depende, principalmente, dos 18 cidadãos recém-anunciados.

Qual deles vai se revelar uma planta ornamental e ficar esquecido em um canto, fazendo fotossíntese? Qual vai conquistar nossos corações e mentes com seu encanto e carisma? Qual adoraremos odiar?

O jogo já começou.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem