Tony Goes

Por que Carlos Bolsonaro publicou fotos de Thammy Miranda e seu bebê?

Atitude do vereador gera reações nas redes sociais, e ainda não foi esclarecida

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ)
O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) - Caio César-4.abr.2017/CMRJ

Um casal tradicional, formado por um homem e uma mulher, não pode ter filhos pela maneira convencional. Recorre, então, à inseminação artificial. Escolhe um doador com características físicas semelhantes às do marido e, nove meses depois, nasce um bebê lindo e saudável.

Essa é uma história banal, que se repete todos os dias. Mas virou manchete na semana passada por causa da colisão entre dois personagens que sequer se conhecem pessoalmente: Thammy Miranda e Carlos Bolsonaro.

Thammy, como todo mundo sabe, é um homem transexual. Ele ainda mantém o nome feminino que lhe foi dado por sua mãe, a cantora Gretchen, e com o qual ficou conhecido por papéis como o da investigadora Jô, na novela “Salve Jorge” (Globo).

Foi logo depois da novela que Thammy, então lésbica assumida, começou o processo de transição. Retirou os seios, cortou os cabelos, tomou hormônios masculinos. E se casou com Andressa Ferreira.

As redes sociais não demoraram a perceber a semelhança entre o novo visual de Thammy e o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), o filho Zero Dois do presidente da República. Alvo de fofocas quanto à sua misteriosa vida pessoal, Carlos foi zoado sem dó por internautas preconceituosos, que acham que a transexualidade é um defeito moral.

Antes muito presente no Twitter, Carluxo (seu apelido na família) afastou-se da web no final de 2019. Depois de um curto período de silêncio, ele já voltou a se manifestar, mas evitando polêmicas que possam abalar o governo do pai.

Por alguma razão, Zero Dois achou que seria engraçado postar em seu perfil fotos de Thammy, Andressa e o recém-nascido, Bento, sem legenda nenhuma. Não precisava: seus seguidores, que parecem acreditar em idiotices como a chamada “ideologia de gênero”, despejaram milhares de comentários atacando a família de Thammy.

 

Pegou mal, claro. A própria Gretchen, que não tem papas na língua e sabe muito bem usar a internet a seu favor, irrompeu na timeline do vereador, cobrando explicações e ameaçando processá-lo.

Mas a defesa mais surpreendente veio da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Conhecida por suas posições conservadoras (para não dizer retrógradas), Damares condenou os ataques ao bebê, pedindo respeito a ele. Poderia também ter pedido respeito a toda a família de Bento, mas não o fez. E não perdeu a oportunidade de comemorar que, em uma das fotos retuitada por Carlos, Thammy veste azul e Andressa veste rosa.

Este episódio é só mais uma das bizarrices que o Brasil vem enfrentando ultimamente, e será esquecido em poucos dias. Mas também é um sintoma da nossa própria ignorância. Ainda não aprendemos a encarar os homens trans como apenas homens, ponto. Também estamos transacionando.

O imbróglio revela também, mais uma vez, as contradições do atual governo, que se pretende liberal na economia e conservador nos costumes. Em termos políticos, ser liberal significa ser a favor da pouca intromissão do Estado na vida das pessoas, e isso vale para tudo. Ou deveria valer.

O que sobra é uma certa dó de Carlos Bolsonaro. Volta e meia ele emite sinais oblíquos de que é uma pessoa conturbada, com dificuldades para se expressar direito. Tá tudo bem, Carluxo?

Tony Goes

Tony Goes tem 58 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem