Tony Goes

O 'selfie' de Ellen no Oscar era 'merchandising'; e daí?

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

A imagem já se tornou icônica, e claro que vai estar em todas as retrospectivas que se fizerem no final deste ano. Gerou memes, paródias e, como todo mundo sabe, quebrou o recorde de foto mais "retuitada" de todos os tempos. Também é uma ação de marketing que vai entrar para a história.

Sim, o famoso "selfie" que a apresentadora Ellen DeGeneres produziu na última cerimônia do Oscar, reunindo algumas das maiores estrelas da atualidade, fazia parte de uma estratégia promocional da Samsung.

O curioso é que, tecnicamente, a foto nem pode ser creditada a Ellen. Quem disparou o botão do celular foi o ator Bradley Cooper, e é ele quem tem os direitos sobre a imagem. Mas até o momento o cara não veio a público exigir seu quinhão no tsunami de dólares que o tal "selfie" está provocando.


Muita gente se sentiu ludibriada quando foi revelado que o gesto não foi tão espontâneo assim. A Samsung patrocina os Oscars desde 2009, e, depois que Ellen avisou que iria tirar "selfies" durante a cerimônia, a rede NBC instruiu a apresentadora para que ela só usasse os celulares do anunciante.

Que não são os que ela usa na vida real: os internautas perceberam rapidamente que Ellen postou a foto nas redes sociais a partir de um iPhone.

Mas será que estava mesmo tudo combinado? Ellen jura que não. Ela garantiu em seu programa que não fazia ideia de que tantas celebridades iriam se juntar à foto que ia tirar sozinha com Meryl Streep (momentos antes, ela havia tirado outra só com Liza Minnelli).

Se for isto mesmo, Jennifer Lawrence, Kevin Spacey, Channing Tatum, Brad Pitt, Lupita Nyong'o, Angelina Jolie e Jared Leto devem estar se mordendo: fizeram propaganda grátis para uma das maiores marcas do planeta. O único que não pode reclamar é Peter, o irmão não-famoso de Lupita, desde já candidato ao título de papagaio-de-pirata de 2014.

Quem também está brava com Ellen é a Pepsi, outra das patrocinadoras do Oscar. A pizza que ela pediu para dividir com a plateia chegou em caixas com o logo da arquirrival Coca-Cola.

Isto mostra que a apresentadora ainda cultiva algum espontaneidade, e é o que a poupa das críticas de que estaria totalmente "vendida ao sistema".

Nós, consumidores, não gostamos de nos sentir ludibriados. Quem não lembra do vídeo viral onde um sujeito dizia que havia perdido seu amor na balada? O tiro saiu pela culatra quando foi revelado que se tratava de um anúncio da Nokia.

Esta semana, um fenômeno semelhante está acontecendo com o vídeo "First Kiss", onde cerca de 20 estranhos se beijam na boca sem sequer se apresentar (e que alcançou mais de 23 milhões de visualizações em menos de 48 horas).

Sim, também é propaganda: neste caso, da grife de roupas Wren, cujo nome até aparece no começo do vídeo. Mas os tais "estranhos" são todos atores e modelos pagos (inclusive a cantora francesa Soko, que também canta na trilha sonora), o que quebrou o encanto para muitos espectadores.

Acontece que a fronteira entre a publicidade e o entretenimento está cada vez mais tênue, e é bom a gente se acostumar.

Num mundo onde os espectadores baixam suas séries favoritas e as assistem sem intervalos comerciais, de que outro jeito os anunciantes conseguirão vender seu peixe.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias