Ricardo Feltrin

Pastor pede R$ 21 milhões aos fiéis para pagar dívida de TV

Com voz chorosa, desesperançoso e cabisbaixo, o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, iniciou nesta semana uma campanha para a arrecadar ao menos R$ 21 milhões para pagar dívidas da congregação, especialmente as referentes ao aluguel de horário do canal 21, do Grupo Bandeirantes.

A Igreja arrendou a emissora praticamente por 24 horas por dia e agora está com dificuldades em cumprir a obrigação...

"Amor à Vida" vai ganhar templo evangélico e pregação em bar

ALÉM DISSO...

Valdemiro afirma que há vários templos com aluguéis atrasados, além de atrasos no pagamento de outros horários locados em rádios e TVs Brasil afora. Um especialista em igrejas, ouvido por esta coluna, que pede para não ser identificado, afirma que dois fatores prejudicaram substancialmente a Igreja Mundial, e que esses fatores ameaçam até a existência da linha evangélica:

Motivo 1)

A tentativa de crescer rápido demais e sem controle algum sobre a contabilidade; ou seja, a igreja contou que podia crescer mais rapidamente até que a Igreja Universal, mas confiou demais na generosidade dos fiéis; acontece que os fiéis (classes C e D, principalmente) já estão com outras dívidas e pararam de colaborar tanto. A Igreja Mundial quis crescer mais e mais rapidamente do que o possível.

Motivo 2)

A guerra deflagrada pela Igreja Universal contra a Mundial, no ano passado. Por meio da Record, a Universal exibiu reportagens que acabaram com a saúde contábil da Mundial, que acabou investigada pelo Ministério Público e, principalmente, pela Receita Federal. A Igreja teve de vender propriedades, gado, se desfazer de templos... Enfim, entrou num verdadeiro gargalo financeiro. Esse gargalo está agora se apertando ainda mais.

Crédito: Mastrangelo Reino - 31.ago.2011/Folhapress Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial
Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial

FALANDO EM CLASSE C...

Ela é a "culpada" pela súbita estagnação das assinaturas de novas TVs pagas. Foram justamente as classes C e D que causaram o "boom" de assinaturas nos últimos cinco anos, pelo menos. Acontece que essas classes gastaram em muitas outras coisas, além da TV paga: viagens, presentes, eletrodomésticos, carros populares. Agora estão atoladas de carnês e têm pouca margem para fazer mais compras. A TV por assinatura, para essas classes, deixou de ser um objeto de desejo primário.

CHORA, BANANEIRA....

Entenda como quiser, como boa ou má notícia. Tudo depende do seu gosto televisivo, caro leitor: mas "A Fazenda 7" já está garantida para 2014. Por outro lado, "A Fazenda de Verão" está subindo a calha rumo ao telhado.


OHHHHH...

A cada dia que passa, Adriane Galisteu está mais longe da TV aberta. Parece ter encontrado abrigo e alimento na TV paga. Abrigo e alimento muito mais modestos, claro, do que estava acostumada a ganhar na TV aberta.

NANANANANA...

A Record deve rejeitar todos os pedidos do SBT para participação de seus artistas no Teleton deste ano. Há diretor que sugeriu que, em vez de ajudar o SBT, a Record deveria fazer uma espécie de "teleton-Ressoar" no mesmo dia. Ressoar é um dos braços de assistência social do grupo Record-Universal.

SOOOOOOBE

Bárbara Evans
Além de bonita e moderada (como mostrou no reality mais grosseiro de todos os tempos), ganhou não apenas cerca de R$ 1,5 milhão, (já descontados os impostos sobre o prêmio de R$ 2 milhões) mas muita exposição midiática e pode virar uma herdeira definitiva da fama da mãe. Tudo vai depender dos trabalhos que Barbara aceitar a partir de agora. Deve pensar bem e aproveitar a onda, porque ela também passará logo.

DEEEEEEEESCE

Vilania em "Amor à Vida"

A impressão que dá é que ninguém presta na novela das 21h da Globo. Todos querem o mal de todos, uma puxação de tapete surreal. Se isso ocorre num hospital, imagine, então, num banco. Ou numa outra corporação mais agressiva. Deus nos livre de um dia cair num hospital desses. Morfina já!


[an error occurred while processing this directive]
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem