Publicidade

colunistas - ricardo feltrin

"Programa do Jô" fica fora da grade da Globo até março de 2013

20/12/2012 - 06h32

Publicidade

RICARDO FELTRIN
COLUNISTA DO F5

O "Programa do Jô" vai ficar fora do ar até o dia 4 de março, quando volta a ser gravado e exibido. Diferentemente de outros anos, a emissora optou em não exibir nenhuma reprise até lá. Por enquanto, no lugar da atração, está sendo exibido o "Som Brasil". Em janeiro, porém, a Globo substituirá o talk-show por séries norte-americanas.

TAMBÉM QUERO!

Jô é o único apresentador da Globo que tira três meses de férias por ano (12 semanas) sem deixar nenhum programa pré-gravado. Fausto Silva, por exemplo, também tira 12 semanas anuais, mas, como maior faturamento da Globo, deixa 12 programas inéditos pré-gravados.

PEROBA

Pelo menos até o final do verão, quando começa a ser exibida a nova programação da Globo, o humorístico "Os Caras de Pau" continuará no ar. A atração é uma herança do núcleo do diretor Marcos Paulo, que morreu em novembro. A CGCom confirmou à coluna a continuidade do programa ao menos durante o verão. A emissora não quis informar se o programa deixará ou continuará na programação depois disso. Estrelado por Leandro Hassum e Marcius Melhem, "Os Caras de Pau" não registra láááá um ibope, digamos, espantoso aos domingos: de 11 a 13 pontos de média na Grande SP (cada ponto = 60 mil domicílios). O outro humorístico dominical, "A Turma do Didi", foi confirmado fora da grade pela Globo.

RAPIDINHA

Fátima Bernardes continua ao vivo até sexta-feira. Depois disso vai tirar 19 dias de férias para curtir a família, mas o seu matinal "Encontro..." continuará a ser inédito até sua volta, no dia 11 de janeiro. A senhora Bonner deixou as atrações pré-gravadas para esse período.

MENOS RAPIDINHA

Já a trabalhadora Ana Maria Braga terá menos dias de folga. Também deixa o "Mais Você" ao vivo na sexta, mas volta ao ar já no dia 4 de janeiro. Na ausência, também ficam os pré-gravados

ABRE O OLHO

Tiago Leifert está confirmado no comando da segunda temporada do "The Voice", mas há artistas globais de olho gordo em cima da atração. Algumas estrelas têm insinuado, por exemplo, que seria ótimo o reality musical ter mais uma apresentadora.

SUCESSO SERTANEJO

Nos últimos meses explodiu o valor do cachê cobrado pela dupla Jorge e Matheus. Cerca de seis meses atrás um show dos cantores podia ser contratado por cerca de R$ 80 mil. Hoje, algumas apresentações já estão custando na casa dos R$ 200 mil ou até mais. O motivo: a dupla está com pelo menos três hits emplacados no top 50 das rádios brasileiras.

BELEZOCA, E MUITO CARA

O cachê de Paula Fernandes é outro que não tem dado sinais de queda. Seis meses atrás um show seu "colocado" (quando o empresário tem de bancar tudo --do transporte e comida ao equipamento e a segurança) custava na faixa de R$ 300 mil. Atualmente, quem tentar contratá-la terá de pagar entre R$ 350 mil e R$ 400 mil.

FENÔMENO BEST SELLER

Em apenas 24 horas, foram vendidos em Portugal cerca de 20 mil exemplares de "Nada a Perder", a nova biografia de Edir Macedo. O livro subiu automaticamente para o primeiro lugar da categoria não ficção. Também é líder do Brasil, com quase meio milhão de exemplares vendidos

HEIN?

Na categoria ficam, também em Portugal, o primeiro lugar é do livro "A Mão do Diabo", de José Rodrigues dos Santos.

SOOOOOBE!

Futebol na Band

A final do Mundial Interclubes mostrou a força da emissora no esporte, registrando média de 12 pontos na Grande São Paulo. Isso representou mais de um terço da audiência da Globo, o que comprova a tradição esportiva da casa para o telespectador, e, obviamente, uma opção para quem não gosta do Galvão Bueno..

DEEEESCE!

Deputado estadual Edson Ferrarini, PTB

Sua tentativa de reviver por meio de projeto de lei a obrigatoriedade da famigerada "carteirinha da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB)" é certamente inconstitucional e está condenada ao fracasso. Decisão final do STF (Supremo Tribunal federal) já decidiu isso o ano passado. Daí o fato de ser espantoso o deputado estadual fingir ignorar uma decisão federal e tentar recriar esse documento-filhote do obscurantismo ditatorial no país. Música é arte e sua expressão livre está assegurada pela Constituição.

Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin, 51, é colunista do "F5", site de entretenimento da Folha, e também colunista do UOL, onde apresenta o programa "Ooops!" às terças. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros.

  • Últimas notícias 
  •  

gostou? leia também

  •  

resumo das novelas

Siga agora o F5 no Twitter

Publicidade

Livraria da Folha