De faixa a coroa

Covid força concurso de miss a gravar coroação de todas as candidatas

Gaúcha Laura Faresin representa o Brasil no Miss Latinoamerica Internacional

A miss gaúcha Laura Faresin

A miss gaúcha Laura Faresin Instagram/laurafaresin_

Após quase nove meses de pandemia, o ritmo dos concursos de beleza se intensificou no último mês, e uma série de anúncios e divulgação de agenda surgiram. A mais recente é a indicação da universitária Laura Faresin, 23, para representar o Brasil no Miss Latinoamerica Internacional 2020, cujo resultado será divulgado no dia 5 de dezembro.

Realizado pela primeira vez em 2012, o concurso teve que se adaptar neste ano, como tem acontecido com os principais eventos ao redor do mundo. No dia 29 de novembro, as 15 misses selecionadas irão para o Panamá, onde fica a sede da organização, para gravar suas apresentações individualmente.

As candidatas vão participar das tradicionais provas de desfile de biquíni e em traje de gala, um shooting de verão, e as entrevistas preliminares. Elas também vão gravar um vídeo em que recebem a coroa da Miss Latinoamerica Internacional 2019, a uruguaia Marisol Acosta. E farão um discurso de como pretendem contribuir para o combate da pandemia em seu país.

Michael Costa, coordenador da etapa brasileira, diz que o concurso será exibido na TV e a vencedora será revelada, ao vivo, após avaliação dos jurados. "Será que nem último capítulo de novela." Ele afirma que os organizadores ainda não confirmaram o número exato de participantes deste ano –em 2019, foram 18 misses.

O Brasil só teve uma vencedora do concurso, a carioca Carolina Moura, em 2015, moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Neste ano, a porto-alegrense Laura Faresin terá a chance de trazer o título para o país. "Confie no processo. Saiba que você está exatamente onde deveria estar, mesmo que não seja onde imaginou", diz a miss, que atualmente residente em Novo Hamburgo.

Cursando farmácia na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Faresin embarca para o Panamá no início da próxima semana para se preparar para o evento. A miss atua como influenciadora digital no segmento de moda, beleza e cosmética, e tem mais de 15 mil seguidores em seu perfil no Instagram.

Michael Costa explica que a indicação de Faresin para o concurso não foi por acaso. Eles queriam uma candidata que tivesse "uma boa bagagem cultural". "Laura morou no exterior, conviveu com várias nacionalidades, fala diferentes idiomas, além de ser extremamente comunicativa. Ela é empenhada, sem falar que tem uma boa passarela e está sendo preparada com todo cuidado para termos bom resultado."

O anúncio traz consigo uma nova era começa no concurso nacional que, a partir de agora, conta com a
organização de Costa ao lado de seu parceiro, Luciano Viana, e com Cristine Sartor, vencedora da etapa nacional do evento em 2019. "Não houve um evento de coroação, mas foram feitas fotos simbólicas em estúdio, seguindo todo o protocolo de segurança sanitária. A previsão é que o primeiro concurso da franquia no Brasil aconteça no segundo semestre de 2021."

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem