Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

Globo comemora audiência do Lollapalooza em quatro telas

Esforço multiplataforma envolveu TV Globo, Multishow, GloboPlay e Canal Bis

Marcos Mion no Lollapalooza 2022
Marcos Mion no Lollapalooza 2022 - Multishow/Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Após dois anos sem grandes eventos presenciais, a Globo tentou tirar o melhor proveito do Lollapalooza com um investimento capaz de atender a quatro de seus canais: a TV aberta, o streaming do GloboPlay e os canais pagos Multishow e Bis.

Os números resultados do festival foram estratosféricos, não só em razão das atrações musicais, mas especialmente pela ajuda involuntária de Jair Bolsonaro e do TSE: nas redes sociais e em toda a cobertura do Lolla, foi enorme a gritaria que acusou como censura a decisão do tribunal, mais tarde revogada, de impor uma multa à organização do evento por tratar como propaganda eleitoral as manifestações políticas favoráveis a Lula, bandeira levantada por Pabllo Vittar.

Só Globo e Multishow contabilizaram mais de 18 milhões de pessoas impactadas por suas telas, em três dias de festival, sendo 6 desses milhões só no Multishow, que alcançou a liderança da TV paga entre jovens de 18 a 24 anos. Os dados são do Multishow. Os dados foram informados à coluna pelo grupo, que calcula em pelo menos 830 o número de profissionais envolvidos na cobertura e transmissão do Lolla.

No Globoplay, a transmissão do festival pelo Multishow e Canal Bis abocanhou 50% do consumo do pacote +Canais ao vivo, menu mais caro que a assinatura básica. A média diária de consumo dos dois canais foi nove vezes maior que a dos outros dias de março. A plataforma disponibilizou para não-assinantes do Globoplay +Canais o acesso às três primeiras músicas de cada atração dos palcos 1 e 2, no Multishow, além da transmissão completa do Canal Bis.

No ar com as mais de 50 atrações dos palcos 1, 2, 3 e Perry’s, o Multishow e o Bis somaram mais de 60 horas ao vivo com a cobertura completa dos shows e conteúdos de bastidores, na TV e no digital.

Nas redes sociais, o grupo contabilizou oito hashtags do Multishow e do Canal Bis entre os assuntos mais comentados no ranking mundial, além de outras 16 que ficaram entre os Trending Topics Brasil. Ao todo, somaram-se 60 milhões de views (4) nas redes sociais das marcas somente durante os três dias de festival.

Na TV Globo, foram mais de três horas com os melhores momentos, sob apresentação de Marcos Mion, uma novidade no elenco da casa para esse tipo de transmissão, atingindo 12,5 milhões de pessoas.

Os três dias de transmissão registraram saldo de 4 pontos de audiência e 29% de participação da Globo entre o total de aparelhos ligados no PNT (Painel Nacional de Televisão) mensurado pela Kantar Ibope.

Neste sábado (2), a emissora exibe um compacto de melhores momentos do festival após o Supercine. A transmissão multiplataforma do festival teve direção geral de Pedro Secchin e direção de gênero de Raoni Carneiro.

A transmissão somou cerca de 50 câmeras, quatro unidades móveis e cinco sinais de transmissão, considerando TV e digital. Foram 10 apresentadores na TV e mais de uma dezena de influenciadores no digital.

Mas a conta foi bem paga. Braskem, Budweiser, GM, Mc Donald’s, Resso, Sadia, Samsung e Vivo marcaram presença na transmissão do festival, com ações personalizadas no Multishow e Canal Bis, que tiveram recorde de cotas comercializadas.

Globoplay, Multishow e TV Globo também promoveram experiências integradas em um estande de três andares no meio do Autódromo de Interlagos, incluindo promoção para a novela "Pantanal", inclusive com a presença de parte do elenco.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem