Zapping - Cristina Padiglione

Polliana Aleixo fala sobre projeção internacional em 'El Presidente'

Atriz participa da 2ª temporada da série, prevista para estrear este ano na Prime Video

A atriz Polliana Aleixo
A atriz Polliana Aleixo - Pupin+Deleu
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Campinas

Depois de estrear no cinema nacional em "A Sogra Perfeita", Polliana Aleixo, 25, se prepara para apresentar seu trabalho ao mercado internacional na 2ª temporada de "El Presidente", série da Amazon Prime Video sobre os bastidores da FIFA.

Animada com o convite para participar da produção, roteirizada pelo argentino Armando , a atriz diz não se prender à promessa de projeção internacional, mas sim à experiência de contracenar ao lado de atores renomados e aprender com eles.

"Sinceramente, não penso muito sobre isso, sobre como vai ser e como vou fazer, com o tempo aprendi a confiar nos meus instintos. Cada vez mais, tenho aprendido a importância do caminho, do processo, do prazer em fazer o que faço, não pelas consequências, mas pelo simples prazer de fazer", afirma.

Fluente em inglês e espanhol, a artista diz não ter medo de novos desafios no exterior. "Mas não é o que determinaria o impacto desse projeto para mim. Ser atriz no Brasil já é um grande sonho que se realiza todos os dias", acrescenta.

Ainda sem data de estreia, a trama promete movimentar o mundo do futebol em pleno ano de Copa do Mundo. Na história, Polliana Aleixo dará vida a Victoria Havelange, filha única de João Havelange, ex-presidente da FIFA e marido da personagem de Maria Fernanda Cândido, outra atriz brasileira confirmada no elenco.

Rica e super-conservadora, a jovem busca preservar os costumes tradicionais da família brasileira, defendendo o pai e encontrando justificativas para suas ausências, "como se o papel de pai se reduzisse a prover as coisas", explica a atriz.

Segundo ela, um dos maiores desafios foi dar vida a uma personagem cujos ideiais são opostos aos seus, o que só se atenuou nas cenas de afeto com a matriarca.

"A relação dela com a mãe é uma parte muito tocante e marcante para mim: como se desenvolve ao longo dos anos, como, a cada fase da vida, elas estabelecem uma nova relação —vai da admiração a momentos de grande embate", conta.

Animada, a atriz relata como foram as gravações ao lado de Maria Fernanda Cândido: "Foi maravilhoso poder construir isso ao lado dela. Foi bonito como, à medida que íamos nos aproximando nos bastidores, fomos ficando mais e mais cúmplices na construção dessa relação. A Maria é uma das atrizes mais gentis e generosas que já conheci."

Para as gravações, Polliana se mudou para o Uruguai, onde ficou até a finalização da série. "Todo o processo foi intenso, morei por quatro meses em outro país, trabalhei com pessoas que sempre admirei, desde elenco até equipe de fotografia, direção, roteiro, o próprio Armando Bó, que ganhou um Oscar [de melhor roteiro original em 2015, por "Birdman" (2014)]... foram muitas emoções", comemora.

Segundo a atriz, o fato de a série ser inspirada em fatos reais traz mais peso ao trabalho. "Disso tudo veio muito aprendizado. Eu procurei absorver e aprender ao máximo e acho que, mais do que impactar minha forma de atuar, impactou minha forma de lidar e enxergar meu trabalho", conclui.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem